Rainha Elizabeth, 95 anos, rejeita título de idosa do ano: “A pessoa tem a idade que sente ter”

Soberana cancelou visita à Irlanda do Norte nesta quarta-feira, seguindo recomendação de médicos, que também a aconselharam a abrir mão do seu habitual Martini vespertino

A rainha Elizabeth II e o primeiro-ministro Boris Johnson, à esquerda, durante uma recepção no castelo do Windsor, na terça-feira.
A rainha Elizabeth II e o primeiro-ministro Boris Johnson, à esquerda, durante uma recepção no castelo do Windsor, na terça-feira.Alastair Grant (GTRES)

A rainha Elizabeth II completou 95 anos há seis meses, mas não se considera idosa. Foi o que alegou para recusar o prêmio de “idosa do ano” dado pela revista Oldie, explicando em uma carta remetida por seu secretário pessoal, e divulgada pela própria revista, que a pessoa “tem a idade que sente ter”, e que por isso a soberana “acredita que não cumpre os critérios relevantes para aceitar o prêmio”.

Em um artigo publicado no seu site, a Oldie diz que, ao conceder-lhe o prêmio, quis homenagear a liderança da rainha durante a pandemia de covid-19, num momento prévio ao seu Jubileu de Platina, a comemoração dos 70 anos de reinado, em 2022. Gyles Brandreth, colaborador da Oldie Magazine e presidente do júri, contou que em 30 de julho enviou uma carta ao secretário particular de Elizabeth II perguntando se ela aceitaria o prêmio. A resposta da monarca veio do castelo de Balmoral, onde se encontrava no seu habitual retiro do verão, na forma de uma carta remetida por seu assistente particular, Tom Laing-Baker, em que desejava a Brandreth que encontrasse “um destinatário mais digno” para o prêmio e se despedia de maneira calorosa, enviando seus melhores votos.

A resposta da rainha foi divulgada horas depois do anúncio de que ela cancelaria uma visita à Irlanda do Norte, seguindo o conselho de seus médicos, que lhe recomendaram repouso. Segundo a agência Reuters, de acordo com um comunicado emitido pelo Palácio de Buckingham, a soberana “aceitou a contragosto” a indicação. “Sua Majestade está de bom humor e decepcionada por não poder visitar a Irlanda do Norte, onde empreenderia uma série de compromissos hoje [quarta-feira] e amanhã [quinta]”, afirmava o texto.

Dias atrás, a revista Vanity Fair disse ter apurado com duas fontes próximas à rainha que os médicos aconselharam Elizabeth II a abrir mão do seu habitual Martini vespertino, deixando o consumo de álcool apenas para ocasiões especiais, pois assim estará em melhores condições de saúde para enfrentar um outono britânico repleto de compromissos e a poucos meses da comemoração do Jubileu de Platina. Em 12 de outubro, durante um ato na abadia de Westminster, a rainha apareceu apoiando-se em uma bengala, o que antes só havia feito por motivos médicos, depois de ser operada de um joelho em 2013.

Os prêmios Oldie of the year (“idoso do ano”) já está em sua 29ª edição, sempre celebrando “os feitos daqueles que fizeram uma contribuição especial à vida pública”, segundo o site da revista, especializada em assuntos da terceira idade. Entre os premiados anteriores se encontram personagens de todo tipo, como ganhadores do Oscar e do Nobel, a rainha-mãe e o artista David Hockney. Na edição de 2011, os organizadores chegaram a sondar o príncipe Philip, marido de Elizabeth II, falecido em abril passado. Na época, ele mandou uma mensagem da residência particular de Sandrigam informando que agradecia muito o convite para receber o prêmio. “Não há nada como isto para recordar à moral que os anos passam”, escreveu, embora não tenha depois comparecido à cerimônia de entrega.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS