As vidas paralelas de Viola Davis e Michelle Obama

A atriz, famosa por seu ativismo, encarnará a mulher de Barack Obama na série ‘First Ladies’, que abordará o lado pessoal e político das primeiras-damas

A atriz Viola Davis e, à direita, a ex-primeira-dama Michelle Obama.
A atriz Viola Davis e, à direita, a ex-primeira-dama Michelle Obama.CORDON PRESS

Viola Davis vai mudar a imagem de advogada de prestígio que exibe em How to Get Away with Murder para se transformar em primeira-dama. A premiada atriz, de 54 anos, interpretará Michelle Obama na série First Ladies, um drama televisivo do canal a cabo Showtime que abordará a vida pessoal e política das mulheres dos presidentes dos Estados Unidos. A primeira temporada se concentrará em três primeiras-damas: Eleanor Roosevelt, Betty Ford e Michelle Obama.

“Honrarei e elevarei estas rainhas poderosas com respeito”, escreveu a própria Davis em sua conta do Instagram há alguns dias, com uma foto dela e outra de Obama. A atriz, que neste semestre se despede da série que a levou à fama, com o final da sexta temporada, não só interpretará a mulher de Barack Obama, mas também será uma das produtoras executivas de uma série que se prevê será um grande sucesso.


Mais informações

“É um sonho que se tornou realidade”, afirmou Jana Winograde, presidente de entretenimento da Showtime, que considera uma sorte “contar com seu talento extraordinário para ajudar a lançar o projeto”. Entrar na pele de Michelle Obama pode representar um grande desafio na carreira de Davis e, ao mesmo tempo, um grande presente, porque a atriz que ganhou um Oscar em 2017 por Um Limite Entre Nós considera a ex-primeira-dama um verdadeiro exemplo de coragem. Foi o que declarou em sua conta do Instagram em 18 de janeiro, quando parabenizou Michelle Obama por seu 56º aniversário. “Feliz aniversário para uma mulher que personifica a verdadeira força”, escreveu a intérprete ao lado de uma fotografia na qual aparece abraçada à mulher de Barack Obama.

Além dessa força que as duas personificam em cada uma de suas aparições públicas e na televisão, se Michelle Obama e Viola Davis têm algo em comum é que as duas fizeram história. Michelle foi a primeira mulher negra a ser a primeira-dama e Viola, a primeira mulher negra a ganhar o prêmio Emmy de melhor atriz em uma série de drama televisivo. Foi em 2015, graças a How to Get Away with Murder, e seu discurso quando recebeu o prêmio foi um dos mais aplaudidos. “A única coisa que separa as mulheres de cor de qualquer outra pessoa é a oportunidade. [...] Não se pode ganhar um Emmy por papéis que simplesmente não existem.” Para ela, o sucesso havia chegado alguns anos antes, mas o caminho não foi fácil.

A origem de Viola Davis está marcada pela pobreza e a carência. A estrela contou em algumas entrevistas que, quando criança, dormia com trapos no pescoço para não ser mordida por ratos e que, quando sua família ficava sem o benefício social que recebia para a alimentação, ela se dedicava a roubar comida ou procurar no lixo algo para colocar na boca. Refugiou-se no teatro e, aos 26 anos, foi uma das felizardas que conseguiu uma bolsa para estudar na prestigiada Julliard School of Arts. Depois dos primeiros passos no tablado, ela se torna a coadjuvante fetiche do diretor norte-americano Steven Soderbergh, com quem trabalhou em Irresistível Paixão, Traffic, Solaris e Syriana.

Em 2009, Davis foi indicada ao Globo de Ouro e ao Oscar por Dúvida e, embora tenha acumulado o maior número de indicações com Histórias Cruzadas, compartilhar um cartaz com Denzel Washington em Um Limite Entre Nós foi o que a alçou à glória na tela do cinema. Como a prestigiada advogada Annalize Keating, em How to Get Away with Murder, chegou ao auge da fama na TV. Agora, a atriz ganhadora de um Oscar, um Globo de Ouro, um Bafta e três SAG, o prêmio dos Sindicatos dos Atores, vive um de seus melhores momentos profissionais com uma trajetória e talento de sobra reconhecidos.

Michelle Obama, que cresceu em uma família humilde em Chicago e se tornou diretora de um renomado escritório de advocacia antes de o marido decolar na política, também não foi uma primeira-dama comum. Nos oito anos em que acompanhou o marido na Casa Branca, deixou sua marca em diferentes questões, sempre precedidas por seu carisma pessoal. Desde seu programa para reinventar os cardápios das cantinas escolares de todo o país até a campanha por uma alimentação saudável, passando pelo plantio de uma horta orgânica na Casa Branca. Sem esquecer a defesa da educação das meninas em todo o mundo, o projeto para atender às famílias de veteranos de guerra e seu indiscutível envolvimento em causas políticas e sociais.

Um ativismo que Viola Davis também carrega como bandeira. Ela vem criticando fortemente a ausência de mulheres negras em cargos de chefia na indústria cinematográfica, bem como as desigualdades salariais entre atrizes negras e brancas. É também uma defensora fervorosa da luta pela igualdade de gênero. Em janeiro de 2018, foi uma das estrelas que lideraram a Marcha das Mulheres. “Hoje não falo somente em nome do movimento MeToo, porque também fui uma MeToo. Quando falo, tenho consciência de que há mulheres silenciadas. Mulheres sem rosto. Aquelas que não têm o dinheiro ou a Constituição do seu lado, e que não têm meios de comunicação para lhes instilar a autoestima necessária para romper o silêncio", gritou ela para a multidão na manifestação.

No campo pessoal, Viola e Michelle também coincidem. Para ambas, a família é um pilar indiscutível em suas vidas. A ex-primeira-dama dedicou às filhas Malia e Sasha, 21 e 18 anos, respectivamente, um capítulo importante em suas memórias Minha História (no original, Becoming), publicadas há quase dois anos, e na qual revelou que haviam nascido por fertilização in vitro após sofrer um aborto espontâneo. A atriz, que se casou com o ator e produtor Julius Tennon em 2003, adotou a filha Genesis em 2011 e admite que todos os dias tenta ensinar-lhe a importância de aprender a se amar e a se aceitar. “Eu lhe dou poder para que compreenda que pode com tudo. Com seus sucessos e triunfos e também com seus erros e fracassos”, disse ela em entrevista à revista People.

Uma força de que a atriz pode se orgulhar e, exceto pela grande diferença de altura –Michelle mede 1,80 m e Viola, 1,65 m–, não há dúvida de que Viola Davis tentará desempenhar à perfeição um papel que certamente fará dela uma nova primeira-dama.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete