A draconiana ‘rotina de beleza’ de Jennifer Aniston confirma que não existem os segredos de beleza

Acabou o mito da estrela que brilha graças à combinação de dormir oito horas e beber muita água?

Jennifer Aniston tem 52 anos e está maravilhosa. Maravilhosa não só para os parâmetros da idade, mas maravilhosa em geral. Mas o brilho de seu rosto e a firmeza de cada um de seus músculos não são fruto apenas de uma genética privilegiada, nem mesmo daquela combinação usual, favorita dos famosos, que é dormir bem e beber muita água. O corpo maravilhoso de Aniston é resultado dos melhores cosméticos, como também de tratamentos caros, do trabalho conjunto de toda uma equipe de profissionais e de muitas horas por dia de dedicação por parte da atriz.

Mais informações

Neste fim de semana, um artigo da Vogue britânica compilava todos os seus princípios, que são muitos e nada baratos. Para o rosto, em casa ela recorre a uma rotina facial em que não falta proteção solar, as máscaras da 111Skin —85 euros (527 reais) na Sephora—, os suplementos, as ferramentas de Jillian Dempsey — banhadas a ouro, por 215 euros (1.330 reais)— ... e também os tratamentos habituais dos melhores esteticistas do mundo (ela costuma recorrer a Melanie Simon ou Joanna Czech). Seu cabelo é tratado pelo colorista Michael Canalé e o cabeleireiro Chris McMillan, que foi quem esculpiu o famoso ‘corte Rachel’.

Angela Levin faz sua maquiagem e Anastacia Soare cuida das sobrancelhas. O melhor de cada casa. Seu corpo também não é um acaso: pratica diariamente um misto de boxe, ioga e cárdio, que complementa com bicicleta, elíptica e esteira em casa. Além disso, arremata sempre os treinos com uma sauna e tudo isso acompanhado de uma alimentação saudável. Hábitos que converteu em modo de vida e explicam o resultado impecável. O que surpreende é que seja uma das poucas que confessam o processo e ousa desmistificar o “corpo estelar”.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Até pouco tempo atrás, as celebridades, quase unanimemente, atribuíam seus rostos perfeitos ao coquetel de água e sono. Mas essa época, em que eram uma espécie de corpos celestes que levitavam por Hollywood, já passou. Acontece que essa imagem se esgotou quando elas abriram as portas de suas mansões para as redes sociais, o que as aproximou do comum dos mortais. É por isso que talvez surpreenda que muitas continuem atribuindo o glow a um hábito ou produto específico. Especialmente se forem de suas próprias empresas, agora que todas têm uma. “As famosas precisam ser mais sinceras sobre suas rotinas de beleza se quiserem vender produtos de tratamento”, diziam na Insider algumas semanas atrás. E o fato é que se a utopia do corpo perfeito dificilmente é aceitável, quando se aproveitam dela para vender seus produtos a história se torna algo de natureza ética.

Jennifer Lopez, também sensacional e da mesma faixa etária de Aniston, deu uma entrevista bizarra a Elle por ocasião do lançamento de sua empresa de beleza, a JLo Beauty, em que lançava mão do pernicioso argumento do “se você quer, você consegue”. Especificamente, a cantora confessou que seu segredo de beleza é que todas as manhãs ela repete que é jovem e eterna. “Vivo uma vida bonita e aventureira com os meus filhos, todos temos saúde, sempre. Essas coisas que você aprende a dizer a si mesma criam um diálogo positivo na sua cabeça que a torna uma pessoa bonita por dentro, o que mantém a pessoa bonita por fora”. E também que você tem o rosto que merece porque “você tem que ser uma pessoa legal e bonita por dentro se quiser que seu rosto reflita isso. Você se converte no que pensa e como age”. Com um argumento semelhante, respondeu aos seguidores que a acusaram de ocultar que usa botox. “Ser mais positivo, amável e exemplar com os outros” vai te ajudar a “permanecer jovem e bela”.

Não é a única proprietária de uma próspera empresa de beleza usando argumentos confusos. Para promover a marca Kylie Skin, em 2019, Kylie Jenner, a rainha do filtro, se atreveu a dizer em um vídeo que sua pele imaculada era o resultado do uso apenas de produtos de sua marca. O vídeo tem mais de 10 milhões de visualizações e os comentários tiveram que ser desativados. É difícil ser celebridade hoje, com certeza tudo era mais fácil quando as famosas se limitavam a ser o rosto de um perfume. E quando tudo ao seu redor ficava escondido atrás do esplendor da idealização do personagem.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50