Seleção da Venezuela detecta um surto de casos de covid-19 horas antes do início Copa América

A equipe, que enfrenta o Brasil neste domingo, relata pelo menos 12 infectados pelo coronavírus, segundo as autoridades sanitárias de Brasília

O jogador venezuelano Tomás Rincón (c) disputa a bola com Facundo Torres, do Uruguai, no dia 8 de junho em Caracas.
O jogador venezuelano Tomás Rincón (c) disputa a bola com Facundo Torres, do Uruguai, no dia 8 de junho em Caracas.Matías Delacroix POOL (EFE)
Mais informações

A Copa América foi abalada por um surto de coronavírus poucas horas depois de seu início. Na seleção venezuelana, foram detectados 12 casos do covid-19, segundo o Ministério da Saúde do Brasil, entre jogadores e funcionários. A seleção, conhecida como La Vinotinto, tem prevista sua estreia no torneio contra o Brasil neste domingo.

Os infectados estão assintomáticos, isolados em quartos individuais de um hotel da capital e monitorados por uma equipe da Conmebol e pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), das autoridades sanitárias brasileiras. Até o momento, a Conmebol e a Federação Venezuelana de Futebol não informaram nada a respeito.

A seleção venezuelana chegou a Brasília na última quinta-feira. O time havia disputado uma partida eliminatória para a Copa do Mundo contra o Uruguai, em Caracas. O jogo terminou em 0-0. Na tarde desta sexta-feira, a seleção venezuelana informou que seu capitão e jogador do Torino, Tomás Rincón, não viajou para o Brasil por causa de um “quadro viral” anterior ao embarque no avião na capital venezuelana.

Na noite desta sexta-feira, a Conmebol alterou o regulamento da Copa América para que todas as seleções pudessem fazer as mudanças que desejassem em suas convocações se apresentassem casos da covid-19. Em qualquer caso suspeito, as equipes poderiam convocar um substituto. Para encaminhar o pedido, os clubes devem enviar os resultados dos testes de PCR realizados nos jogadores.

A Conmebol tinha como meta ser a primeira competição internacional a ter todos os jogadores e funcionários vacinados para a Copa América. A organização contava com a doação de mais de 50.000 vacinas da Sinovac para se proteger. Algumas seleções, como a colombiana, foram imunizadas nesta quinta-feira.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: