Neymar entra para a lista de devedores de imposto na Espanha

Fisco espanhol diz que atleta deve 34,6 milhões de euros; outros rostos conhecidos, como a atriz Paz Vega e o empresário Mario Conde, também estão entre os maiores devedores do país

Neymar em campo pelo PSG durante jogo do campeonato francês
Neymar em campo pelo PSG durante jogo do campeonato francêsGONZALO FUENTES / REUTERS

A Agência Tributária espanhola publicou nesta quarta-feira sua sexta lista dos contribuintes que lhe deviam mais de um milhão de euros (o equivalente a 6,59 milhões de reais, pelo câmbio atual) em impostos no 31 de dezembro do ano passado. Ao todo, são 3.930 nomes, entre empresas e pessoas físicas, que devem um total de 14,2 bilhões de euros, valor 0,7% mais que em 2019. Muitos desses grandes devedores são companhias vinculadas ao setor imobiliário, como Reyal Urbis e Nozar. Mas há também personagens famosos: este ano, destaca-se a incorporação à lista do brasileiro Neymar, ex-Barcelona, hoje jogando pelo Paris Saint-Germain (PSG), da França. Outras caras conhecidas da própria Espanha seguem na lista, como o empresário Mario Conde, a atriz Paz Vega, o ex-motociclista Sito Pons e a apresentadora Patricia Conde, enquanto o ex-ministro Rodrigo Rato sai da lista.

Neymar aparece pela primeira vez na lista, mas já com uma quantia volumosa: 34,6 milhões de euros, uma dívida muito superior aos 15,97 milhões que continua devendo o empresário Agapito García Sánchez, durante anos a pessoa física que mais dinheiro devia à Fazenda. No Brasil, o jogador também responde a uma cobrança de 188 milhões de reais da Receita Federal por supostas irregularidades na sua transferência ao Barcelona, em 2015. O jogador e a instituição disputam o valor na Justiça.

O ex-piloto de motos Alfonso Sito Pons, tem uma dívida de 1,95 milhão de euros, igual à do encerramento de 2018; a apresentadora Patricia Conde, segue devendo 1,88 milhão de euros, e o ex-presidente do banco Banesto, Mario Conde, reduzia sua dívida em quatro milhões, para 8,4 milhões. Do mesmo modo, continua devendo dinheiro à Fazenda María Paz Campos Trigos, mais conhecida como Paz Vega: a atriz deve 2,63 milhões de euros à Agência Tributária, mais que os 2,49 milhões que devia no final de 2018. Também repete na lista o escritor César Vidal, que ampliou sua dívida com a Fazenda para 3,26 milhões de euros, frente aos 2,77 milhões que constavam na lista anterior.

Por outro lado, há rostos conhecidos que apareciam no ano anterior e que agora saíram da lista de devedores. Um deles é o ex-ministro de Economia e ex-presidente do Bankia Rodrigo Rato, que no final de 2018 devia mais de um milhão de euros à Fazenda. Também desaparecem da publicação o advogado José Emilio Rodríguez Menéndez e a personalidade televisiva Juan Francisco Matamoros, conhecido como Kiko Matamoros.

Fontes da Agência Tributária destacam que o fato de um contribuinte sair da lista não implica necessariamente que tenha pagado toda a sua dívida com a Fazenda. A lista publicada nesta quarta-feira pelo organismo só inclui pessoas físicas e empresas que tenham uma conta pendente de mais de um milhão de euros. Também existe a possibilidade de que a dívida tenha sido cancelada pelo pagamento ou prescrição, a anulação em julgamento, a suspensão mediante aval ou o falecimento do devedor, como é o caso do ex-presidente do Real Madrid Lorenzo Sanz, que morreu em março, de Covid.

Empresas

Em todo caso, as dívidas mais avultadas com a Fazenda são de pessoas jurídicas, sobretudo vinculadas ao mundo da construção. Entre as novas empresas que aparecem na lista estão Intereconomía Radio S.L., com uma dívida de 1,3 milhão de euros, e o Edifício Novosur, relacionado com a Nova Rumasa, com uma dívida de 4,6 milhões. Além disso, entram pela primeira vez três empresas da Marbella (um balneário no Mediterrâneo): Gerência de Obras e Serviços Marbella (12,4 milhões), Radio Televisão Marbella (3 milhões) e outra de limpeza (1,5 milhão).

Entre as empresas que permanecem e aumentam grandemente sua dívida figura a promotora Nozar, com uma dívida de 215,1 milhões após somar mais 158,2 milhões; Isolux Corsán, com 329,6 milhões, aumentando em 13,8 milhões, e Desguaces La Torre, com 21,4 milhões, três milhões a mais. Entre as companhias que permanecem, mas que mais reduziram sua dívida, encontram-se Martinsa, com 27 milhões, uma redução de 23,3 milhões; Reyal Urbis, com 343,5 milhões, diminuindo em 9,7 milhões; e La Casa Grande del Aceite de Oliva, pertencente ao empresário Luis Miguel Rodríguez, proprietário da Desguaces La Torre, com 1,76 milhão, uma redução de 462.000 euros na dívida.

Mais informações