Aposta em Neymar

Entendo a reação do torcedor que ainda está magoado com sua saída do Barcelona, ​​mas sou um defensor de segundas chances

Neymar, durante um treinamento com o PSG.
Neymar, durante um treinamento com o PSG.FRANCK FIFE (AFP)

Neymar voltar? Sou sempre a favor do retorno ou da incorporação de jogadores que tenham qualidade excepcional, e ele é um caso claro de jogador de futebol que, acima de tudo, faz a diferença. Há muitos com talento, mas ele é um dos cinco mais especiais. Quando recebe a bola, você sabe que algo vai acontecer e, no mais alto nível, ter ou não ter alguém capaz de fazer a diferença pode significar passar a conquistar um título ou só ficar perto.

Mais informações

Entendo a reação do torcedor que ainda está magoado pelo momento e o modo como ele saiu, mas a grandeza das pessoas está em entender quando alguém pode ter se enganado. No futebol, não perdoar a decisão de um jogador de deixar a sua equipe há alguns anos faz parte dos aspectos emocionais. É compreensível porque neste esporte, e também no funcionamento dos clubes, há uma grande influência dos sentimentos.

Mas sou um defensor de segundas chances. E também por uma questão prática: entre Neymar ou qualquer outro jogador que chegue de fora, com ele você tem a garantia de que conhece o clube, a exigência, a pressão, o ambiente, a maneira de jogar e um vestiário que claramente he abre os braços. O risco é sempre menor.

Quem não quer ter o melhor em sua equipe? Ele é um daqueles que leva o torcedor à beirada da cadeira. O fato de que teve um ano ruim pode ser interpretado como um acréscimo motivacional. Chegaria agradecido e com vontade de dar o máximo. Lembro que meu pai dizia que não pode haver dois galos no mesmo galinheiro, e desta vez seriam até mais, mas Neymar demonstrou na etapa anterior que não havia um problema de egos e adotou uma boa atitude, respeitando a hierarquia que havia.

Analisando friamente todas as questões, pesa mais a necessidade de olhar para a frente e estar bem hoje. E não vamos esquecer a mensagem que o clube enviaria ao ser capaz de virar a página, o que considero muito positivo. Compreendo a disputa sobre a contratação, mencionada pela mídia.

Esse mercado também afeta o status dos campeonatos e, para o espanhol, seria importante recuperar terreno com um movimento desses. A Premier League continua atraindo estrelas e a Itália, com sua vantagem fiscal, está sendo capaz de competir de novo, então a Espanha é obrigada a manter o nível. Fiscalmente será difícil, mas é preciso aproveitar o apelo competitivo para conseguir jogadores de futebol de referência.

Terminada a pré-temporada, parece claro que voltaremos a testemunhar uma briga entre os três grandes. O Atlético, depois de importantes baixas, transmite ter tido um bom verão e conseguido renovar com êxito a equipe. Está disposto a entrar na batalha com o estilo Simeone mais uma vez. A impressão com o Real Madrid é mais difícil. Ainda precisa acrescentar outro jogador com essa qualidade extra de Hazard, que é uma contratação muito boa, para compensar os maus dias do restante ao longo do ano. Há muitos rumores e expectativa em torno deles, o treinador, seus sistemas... mas nas pré-temporadas não é tão importante ganhar jogos como o fato de o treinador poder tirar conclusões.

O futebol é assim, e essa é a beleza: você acha que sabe como está hoje, mas descobre no dia seguinte quando analisa. O Barça deixou boas sensações na preparação, mas não começou com o resultado desejado e talvez outros que chegavam com dúvidas consigam que tudo seja esquecido (o Real Madrid). Começar ganhando é mais confortável, mas falta muito, o San Mamés sempre é complicado e com a queda do melhor sempre é mais difícil.