Game of Thrones

Sophie Turner revela que sofre de depressão há cinco anos

A atriz, que dá vida a Sansa Stark em 'Game of Thrones', conta em um 'podcast' como as redes sociais a afetaram e que se considerava "feia, gorda e má atriz"

Sophie Turner, na estreia em Belfast (Irlanda do Norte) de 'Game of Thrones', em 12 de abril.
Sophie Turner, na estreia em Belfast (Irlanda do Norte) de 'Game of Thrones', em 12 de abril.Joel C. Ryan (GTRESONLINE)

Sophie Turner tem só 23 anos e há quase oito se tornou uma atriz conhecida, de sucesso e milionária. Tem uma carreira ainda no início, que ganhou peso graças a seu papel de Sansa Stark em Game of Thrones. Em sua vida pessoal, vive uma relação consolidada com o músico Joe Jonas. No entanto, as alegrias do sucesso e do amor não significam que tenha uma vida ideal. Como ela mesma contou agora, há cinco anos sofre de depressão e quando a famosa série que a lançou à fama acabar, pretende tirar uma boa temporada de descanso.

A britânica nunca tinha falado antes sobre seus problemas de saúde mental, mas explicou que tenta ser transparente para ajudar outras pessoas que estejam passando pelo mesmo problema e mudar os estigmas associados a eles. “O maior desafio para mim é levantar da cama, conseguir sair de casa e aprender a gostar de mim mesma”, explica no podcast Phil in the Blanks. A entrevista aconteceu logo depois da estreia da última temporada de Game of Thrones e pouco antes de Turner se ver imersa na promoção de seu novo filme, X-Men: Fênix Negra, algo que não lhe deixará muito tempo para esse ansiado descanso.

Mais informações

Seu personagem está presente na série desde a primeira temporada, portanto começou a trabalhar de forma muito intensa desde que era muito jovem, em 2011, com apenas 15 anos. Essa idade precoce também afetou suas relações com amigos e pessoas à sua volta, já que sofreu ao ver-se sozinha quando seus colegas começaram a ir para a universidade e a deixar suas casas enquanto ela continuava vivendo com seus pais e trabalhando. De fato, contou que não tinha vontade de ver seus amigos, de ficar com eles: “Só chorava, chorava, e pensava: ‘Não posso sair. Não quero fazer nada”.

“Gostava demais...”, lembra sobre sua participação na série. “Não podia imaginar que teria que pagar por isso. Tudo era incrível”, lamenta. “Mas tudo começou a afundar quando cheguei à puberdade, com 17 anos”, contou diante dos microfones do programa. “O ritmo do meu metabolismo diminuiu demais e comecei a ganhar peso. E logo tive de enfrentar o escrutínio das redes sociais e tudo isso, e nesse momento foi que [a depressão] começou a me atingir”.

Para ela, as redes —ela tem mais de 10 milhões de seguidores no Instagram e cada capítulo de Game of Thrones costuma se tornar o tema mais comentado do Twitter— foram detonadores de sua depressão, apesar de não se o único fator: “Contribuiu. Não diria que foi a razão principal, mas um catalisador”. A atriz costumava ler os comentários das pessoas, que a criticavam por quase tudo: seu peso, sua pele, seu físico, sua forma de atuar... “Acreditava em tudo. Dizia a mim mesma: ‘Sim, estou cheia de espinhas. Sim, sou gorda. Sou má atriz’. E acreditava”. Como ela mesma explicou, “via 10 comentários fantásticos e os ignorava, mas um negativo me arrasava”.

Sophie Turner e Joe Jonas em uma festa do Oscar de 2019.
Sophie Turner e Joe Jonas em uma festa do Oscar de 2019.

“Comecei a ser muito, muito consciente de tudo... Comecei a me preocupar com os ângulos [de câmera]. Estava preocupada com meu rosto. Tenho um nariz grande e tudo mundo adora me lembrar disso, e pensava: ‘Não sei em que ângulo ficar’. Afetava minha criatividade. Não podia ser fiel ao personagem porque estava preocupada demais com Sophie”, reflete a atriz.

Turner conseguiu melhorar graças a sessões de terapia e a tratamento específico. “Agora gosto mais de mim, ou mais que antes, acredito. Não penso que goste muito, mas estou com alguém que me ajuda a ter consciência de que tenho certas qualidades positivas, acho”, contou em referência ao músico Joe Jonas, que a acompanhou à gravação do programa de áudio. O casal anunciou há um ano e meio que tinha assumido um compromisso, mas até o momento não há data para o casamento. “Quando alguém te diz todo dia que te ama, te faz pensar nos motivos por que te ama, e também amar um pouco mais a si mesma. Então, sim, me amo”.

Turner não é a única protagonista de Game of Thrones que já passou por problemas semelhantes. O ator Kit Harington, Jon Snow na série, reconheceu há alguns meses que precisou de terapia para assimilar a fama e o protagonismo de seu personagem. Lena Headey, que interpreta Cersei Lannister, confessou também recentemente que gravou a primeira temporada da série com depressão pós-parto.