COSA NOSTRA

Os crimes da máfia voltam a Nova York: morto a tiros o ‘capo’ dos Gambino

Chefão de 53 anos levou pelo menos seis tiros no peito. Os Gambino chegaram a ser considerados a maior organização criminosa dos Estados Unidos

Um carro de polícia junto ao local onde o chefe mafioso Frank Cali foi morto, nesta quarta-feira, em Nova York. Na imagem pequena, Cali fotografado em 2008, após ser detido pela polícia.
Um carro de polícia junto ao local onde o chefe mafioso Frank Cali foi morto, nesta quarta-feira, em Nova York. Na imagem pequena, Cali fotografado em 2008, após ser detido pela polícia.AP | AFP

MAIS INFORMAÇÕES

Fazia mais de três décadas que não se vivia uma cena assim em Nova York. E os moradores de Hilltop Terrace, em Staten Island, jamais imaginavam que ela poderia ocorrer em um bairro tão pacato, apesar de a região ser um conhecido feudo da máfia. Francesco Cali, um conhecido chefe da família Gambino, foi assassinado a tiros na frente da sua casa. Sua família estava dentro da residência naquele momento.

O crime ocorreu por volta de 21h30 horas de quarta-feira (22h30 pelo horário de Brasília), na orla marítima de Nova York. Cali levou seis tiros no peito e foi declarado morto no hospital. Ao amanhecer, a polícia continuava procurando o suspeito e a arma do crime. Sabe-se, pelo depoimento de testemunhas, que Cali foi atropelado por uma picape azul que fugiu.

A foto que circula de Frank Boy, seu apelido, é de quando foi detido em 2008. Cumpriu na época 16 meses de prisão por extorsão. Acredita-se que tenha assumido há quatro anos o comando da família Gambino. É preciso recuar a 1985 para encontrar um crime similar entre mafiosos. Naquela vez, Paul Castellano foi assassinado na porta do restaurante Sparks Steakhouse, em Manhattan.

Aquele crime foi encomendado por John Gotti em sua ascensão rumo à cúpula da organização. Gotti foi detido no final da década de 1990 graças à colaboração de seu braço-direito, Salvatore Gravano, com o FBI, uma relação que provocou a queda de vários chefões mafiosos. Esta conexão também foi prejudicial para os Gambino, já que com o tempo provocou a perda de grande parte de seu poder. A figura de seu novo chefe atraiu a atenção da imprensa e, consequentemente, investigações judiciais.

A família Gambino, uma das cinco que integram a Cosa Nostra em Nova York, chegou a ser considerada a maior organização criminosa dos Estados Unidos: dedicou-se a todo tipo de atividade ilegal até cair em desgraça, em meados da década de 1990, devido à perseguição das autoridades. Quando Castellano foi assassinado, o clã contava com mais de 300 membros, 2.000 sócios e interesses nos setores têxtil, de coleta de lixo, construção civil e agiotagem.

Frank Cali, de 53 anos de idade, envolveu-se desde jovem com a máfia. Foi preso em 2008 depois de as autoridades imporem um duro golpe ao crime organizado em Nova York e na Sicília. A operação resultou na captura de 77 pessoas em ambos os lados do Atlântico, incluindo chefes dos clãs ítalo-americanos Gambino e Inzerillo.

Arquivado Em: