Seleccione Edição
Login

Governo espanhol avalia punição a homem que chamou idosa de “bastarda, preta e feia” em voo da Ryanair

Após o incidente, na última quinta-feira, a companhia aérea se limitou a trocar a passageira de assento

Ryanair
À esquerda, a passageira insultada, junto à janela, o agressor

“Bastarda preta e feia”, gritava um passageiro branco a uma passageira negra sentada a duas poltronas de distância e que supostamente havia atrapalhado sua passagem. Foi na quinta-feira passada, 18, no voo FR9015 da Ryanair, que saiu de Barcelona com destino ao aeroporto britânico de Stansted. Só três pessoas intervieram em defesa da vítima, uma idosa de 77 anos. Entre elas estava o homem que gravou o incidente em vídeo e pediu à companhia aérea que expulsasse o passageiro do avião. A resposta da Ryanair se limitou a trocar a mulher de lugar. Tanto a companhia como o passageiro agressor receberam duras críticas nas redes sociais. O vídeo, publicado no Facebook por outro passageiro, David Lawrence, residente no Reino Unido, já acumula 15.000 comentários na rede social, 52.000 de compartilhamentos e 4,2 milhões de exibições.

Depois de analisar as imagens, o Ministério de Fomento da Espanha anunciou que, através da Agência Estatal de Segurança Aérea (AESA), “irá analisar a situação criada no voo da Ryanair para comprovar como se deram as condições para que a pessoa causadora da situação possa ser sancionada como passageiro conflitivo, de acordo com a normativa vigente”.

Na gravação, se vê que a filha da mulher, que estava sentada perto, sai em socorro da sua mãe, recrimina o homem por sua atitude e lhe pede que deixe de gritar, enquanto um comissário de bordo sugere à idosa que se sente em outro lugar, o que ela recusa. “Não seja tão grosseira, senhora, precisa se acalmar”, diz o comissário. Nesse momento, o homem sobe de tom. “Não quero me sentar junto dessa sua maldita cara feia”, diz. “Se você não for para outro assento, eu vou te colocar em outro assento”, ameaça o indivíduo, que acrescenta: “Não fale comigo num idioma estrangeiro, sua vaca feia estúpida”.

Os demais passageiros assistem à cena estupefatos. Um jovem que estava sentado atrás cutuca o homem: “Não há necessidade disto, pare, pare de uma vez”. Também intervém o homem que gravou o vídeo, de 55 anos, que pede que a mulher seja devolvida ao seu assento, e imediatamente depois exige a expulsão do agressor da aeronave. Diante da escalada da situação, a própria idosa pede para se sentar ao lado da sua filha, alegando que o seu vizinho de poltrona “fede”.

David Lawrence contou ao Huffington Post que nem o piloto nem os comissários de bordo pediram ao homem que mudasse de assento ou deixasse o avião após o ocorrido. “Falei com o piloto ao final do voo e ele me sugeriu que apresentássemos uma queixa formal à Ryanair”, acrescentou. No final do vídeo, escuta-se o comissário dizer: “Vou falar com o supervisor, pode ser que o senhor tenha que deixar o avião, sua atitude é intolerável”.

O passageiro que fez a gravação também relatou o ocorrido à BBC Radio 5 Live. “Tudo estava tranquilo, estávamos nos preparando para decolar. Aí um homem subiu a bordo e chegou ao seu assento, então falou rispidamente com uma mulher sentada no assento do corredor. Isso me chamou a atenção, já que era muito ruidoso e muito agressivo. Começou a gritar com a mulher, dizendo ‘sai da frente’, ‘tira os pés daí’, ‘você não deveria estar sentada aí’”, acrescentou, salientando que a tripulação demorou demais para intervir.

Quando a filha da mulher, que estava sentada perto, interveio, um passageiro começou a gravar o que considerou ser uma “discussão asquerosa de insultos raciais e linguagem grosseira”. A filha da agredida explicou que a briga começou porque sua mãe, de 77 anos, tem artrite e demorou a se levantar e ceder a passagem ao homem, que se sentaria junto à janela. “Sei que se eu ou qualquer outra pessoa negra estivesse me comportado como ele, teriam chamado a polícia e nos teriam expulsado do avião”, lamentou-se. “Minha mãe se sente realmente incomodada e muito estressada por esta situação. Eu também estou incomodada pelo fato de o passageiro não ter sido expulso do avião”, queixou-se a mulher ao Huffpost, que só identificou a idosa como senhora Gayle.

Robin Kiely, diretor de comunicação da companhia aérea, disse em nota que “a Ryanair informou o ocorrido à polícia de Essex [destino do voo] e, como agora se trata de um assunto policial, não podemos fazer comentários”. A Ryanair declarou à BBC que se norteia por “protocolos rigorosos” para os passageiros conflitivos, por isso não tolera comportamentos indisciplinados. “Um comportamento perturbador ou abusivo como o ocorrido terá como resultado que o passageiro seja proibido de viajar”, acrescentou a companhia.

A polícia de Essex informou em nota que foi informada no domingo pela manhã sobre o incidente e se encarregará da investigação. “Estou muito decepcionado com a Ryanair. Não fez nada. Denunciaram à polícia só depois que apareceu na mídia, passaram-se dois dias”, criticou por sua vez o autor do vídeo na Skynews.

No Twitter, onde o assunto virou trending topic, censura-se a tripulação por não ter expulsado o homem do avião e porque a mulher acabou sendo obrigada a se mudar. Também há muitos elogios ao jovem que ajudou a agredida. “Estou muito surpreso. Não houve resposta [por parte de outros passageiros], ninguém disse nada. O jovem se viu obrigado a tomar a iniciativa”, disse Lawrence sobre a passividade dos passageiros.

Entre as vozes críticas se encontram deputados do Parlamento britânico e escocês. “Deveriam tê-lo obrigado a deixar o voo e o entregado à Polícia”, tuitou o deputado Karl Turner, que pediu explicações à empresa. Conforme o artigo 7º. da política de Termos e Condições, a companhia pode recusar o embarque de uma pessoa cujo comportamento “represente um perigo ou risco para o resto dos passageiros ou a tripulação”.

Esta nova polêmica em torno da empresa low cost ocorre em meio a uma disputa trabalhista entre os funcionários e a direção da Ryanair, travada também nas redes sociais, com fotos e vídeos virais. No último dia 15, o sindicato USO publicou no Twitter uma foto de um grupo de tripulantes de cabine da empresa dormindo no chão do aeroporto de Málaga. Em resposta, a Ryanair lançou um vídeo em que demonstrava que essa foto era uma encenação feita pelos funcionários, e não uma situação real.