Eleição 2018

Dólar quebra barreira dos 4 reais após pesquisas decepcionarem mercado

Levantamentos sobre intenção de voto reiteram Lula e Bolsonaro como líderes. Candidatos pró-mercado, como Alckmin e Meirelles, ainda não emocionam o eleitorado

Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB) em reunião em março de 2017, quando o tucano ainda era governador de São Paulo e Meirelles, ministro da Fazenda.
Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (MDB) em reunião em março de 2017, quando o tucano ainda era governador de São Paulo e Meirelles, ministro da Fazenda.Wilson Dias (Agência Brasil)

MAIS INFORMAÇÕES

O dólar superou na terça-feira a barreira dos 4 reais pela primeira vez desde março de 2016, numa desvalorização atribuída às incertezas sobre a eleição presidencial de outubro. As últimas pesquisas apontaram maior intenção de voto para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), cuja candidatura deve ser bloqueada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e para o deputado Jair Bolsonaro (PSL). Os candidatos com perfil pró-mercado, como o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) e o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB), não se apresentam como candidaturas competitivas nas pesquisas. A moeda norte-americana fechou o dia sendo negociada a 4,049 reais, com uma queda de 2,01% da moeda brasileira em relação ao fechamento dos mercados na segunda-feira.

A alta do dólar foi a quinta consecutiva, numa valorização acumulada de 4,4%. Desde janeiro, o real perdeu 19% de seu valor, afetado pela alta das taxas de juros nos Estados Unidos, pelos temores de uma guerra comercial entre Pequim e Washington e pela ausência de candidatos pró-mercado fortes na disputa presidencial, que se prenuncia como a mais incerta das últimas décadas.

A tendência de baixa se fez sentir nas últimas cinco sessões e se acentuou na segunda-feira, depois que duas pesquisas revelaram um fortalecimento nas intenções de voto (37%) do ex-presidente Lula, que cumpre pena de 12 anos de prisão por corrupção e que dificilmente poderá concorrer em outubro por causa da sua situação judicial. Ele é seguido pelo deputado de extrema-direita Jair Bolsonaro (com 18,8%), tradicionalmente adepto de posições nacionalistas, mas que nos últimos meses tratou de ganhar a simpatia dos mercados designando um economista ultraliberal como seu ministro da Fazenda caso for eleito.

Na depreciação do real desta terça-feira “há um fator político, que reflete as pesquisas de ontem [segunda]”, disse Alex Agostini, da consultoria Austin Rating. “Há uma preocupação dos investidores, devido ao equilíbrio fiscal” que poderia ser ameaçado em caso de vitória de candidatos contrários ou sem força para darem continuidade às medidas de austeridade do presidente Michel Temer (MDB), acrescentou Agostini.

A Bolsa de São Paulo, por sua vez, fechou em baixa de 1,5%, aos 75.180 pontos, o menor nível desde 11 de julho. As ações da Petrobras caíram 3,49%.

Arquivado Em: