Seleccione Edição
Login

Procuram-se trabalhadores para cuidar de gatos em uma ilha paradisíaca

Uma artista dinamarquesa estabelecida em Siros, Grécia, oferece um salário fixo e alojamento durante pelos menos seis meses para quem cuidar do seu santuário felino

Gatos no santuário felino de Siros, na Grécia.
Gatos no santuário felino de Siros, na Grécia.

A ONG God’s Little People Cat Rescue,que fica na ilha grega de Siros, está procurando trabalhadores para cuidar de seu santuário de felinos. A organização postou no Facebook um anúncio que promete um salário fixo de 600 euros e as despesas da casa pagas para todos aqueles dispostos a se mudar para o país heleno e cuidar de pelo menos 55 gatos que vivem na casa. O anúncio, publicado no último domingo, foi compartilhado por mais de 25.000 pessoas e tem mais de 22.000 comentários, embora, até agora, "apenas" 3.000 pessoas se candidataram à vaga, de acordo com o jornal britânico The Telegraph.

A oferta é voltada para pessoas "maduras" —de acordo com o anúncio, o ideal é que elas tenham mais de 45 anos— e "amantes de gatos" que saibam como aproveitar a companhia desses animais. As funções do cargo incluem cuidar, alimentar e medicar os animais, por isso, a ONG garante que levará em conta os conhecimentos veterinários dos candidatos, mas também apreciará as "capacidades comunicativas" com os felinos. Além dos cuidados estipulados, os gatos também precisarão de "muito amor e atenção", destaca a organização.

O anúncio destaca a localização do santuário, em uma casa com jardim no meio de uma paisagem natural isolada e com vistas para o Mar Egeu. O trabalho é em tempo parcial, o que permite que seja compatível com outras atividades, e a duração do emprego será de pelo menos seis meses a partir de novembro, embora preveja um período de treinamento voluntário não remunerado de duas a quatro semanas em outubro.

"Eu não sabia que isso chegaria tão longe", disse a fundadora e presidente da ONG, a artista dinamarquesa Joan Rachlitz Bowell, que mora na Grécia há sete anos. "Estou muito orgulhosa de que o nome do santuário esteja dando a volta ao mundo", explicou Bowell através das redes sociais. Ela precisa de ajuda com seus gatos neste outono, quando deixará a Grécia para acompanhar seu marido, o britânico Richard Bowell, a compromissos em Nova York, conforme detalhado no The Telegraph.

A fundadora da ONG e seu companheiro começaram a recolher gatos de rua após chegar a Siros, quando viram vários felinos buscando comida no lixo e em situação de desnutrição severa. Desde então, começaram a colaborar com veterinários locais para melhorar a saúde dos gatos da ilha e apoiaram vários projetos —de esterilização ou de financiamento de operações dentais— com as doações que obtêm através da fundação.

Segue-nos em Twitter e em Flipboard

MAIS INFORMAÇÕES