Seleccione Edição
Login

Homem vira taxista para procurar a filha e a encontra 24 anos depois

Menina desapareceu aos três anos, por descuido do pai, que trabalhava em barraca de frutas

A família Wang, finalmente reunida com a filha desaparecida (vestida de branco, no centro da foto).
A família Wang, finalmente reunida com a filha desaparecida (vestida de branco, no centro da foto).

Um pai-coragem da cidade de Chengdu, na China central, conseguiu encontrar sua filha desaparecida há 24 anos. Wang Mingqing, de 49 anos, decidiu virar taxista em 2015 porque assim poderia usar o táxi para espalhar a história e torná-la conhecida em todo o país, informa o jornal Diário do Povo nesta quarta-feira.

A filha de Wang, Qifeng, perdeu-se em 8 de janeiro de 1994, quando tinha apenas três anos, por causa de um descuido do seu pai. Wang na época cuidava de uma barraca de venda de frutas instalada numa rua. A menina estava ao seu lado quando o homem deixou o local durante alguns minutos para ir buscar troco. Ao voltar, não havia rastro da menina. “Nós três saímos da casa felizes naquela manhã, mas só voltamos sua mãe e eu”, recorda Wang.

O pai e sua esposa, Liu Dengying, que têm outra filha e um filho, passaram anos colando cartazes com o rosto da menina, mantendo contato com a polícia e visitando orfanatos e hospitais, mas foi o táxi o que levou a reencontrar a garota perdida. Segundo relata a BBC, o homem calcula que contou a história a mais de 17.000 passageiros em seu carro, parte da frota da empresa Didi Chuxing. Dentro do veículo ele colocou uma foto da sua outra filha, já que não tinham imagens de Qifeng, mas ambas são muito parecidas. Também entregava cartões com seu contato a cada pessoa que transportava no seu táxi.

Sua história chegou no ano passado à imprensa chinesa. “Nunca me darei por vencido”, dizia o pai nas entrevistas. Um desenhista da polícia leu a história e criou um retrato automatizado de como seria Qifeng como adulta. A imagem foi maciçamente divulgada nas redes sociais. A milhares de quilômetros de distância, no outro lado do país, uma mulher chamada Kang Ying viu a imagem e se surpreendeu com a semelhança consigo mesma.

A jovem entrou em contato com a polícia e com o casal no último dia 16, momento em que descobriu que compartilhava traços únicos com a menina desaparecida, incluindo uma pequena cicatriz na testa e uma tendência a ter náuseas sempre que chorava, prossegue o canal britânico. Em 1º. de abril, a garota fez um exame de DNA que confirmou que era a menina perdida há quase um quarto de século.

A imprensa chinesa ofereceu na segunda-feira imagens de Wang e de sua filha falando emocionados através de uma videoconferência, e nesta quarta cobriu a primeira reunião da família completa. A jovem viajou da província de Jilin (norte), onde vive, para Chengdu com seu marido e seus dois filhos. Agora, 24 anos depois, está com sua família original. Nas imagens da reunião, vê-se como o homem a abraça e lhe diz: “Papai te ama”.

Kang Ying disse aos jornalistas, com lágrimas nos olhos: “O mundo inteiro me dizia que eu não tinha mãe, mas eu tenho!”, relatava o site thecover.cn . “Não posso lhes dizer quanta esperança, decepção e desespero sofremos nos últimos 24 anos. Agora finalmente podemos voltar a nos encontrar”, declarou o pai ao Diário da Juventude de Pequim.

MAIS INFORMAÇÕES