Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Primeiro retrato oficial de Meghan Markle com o príncipe Harry

Palácio de Kensington divulga duas imagens para comemorar o noivado do neto da rainha com a atriz que está ditando tendências – seu último vestido se esgotou em um dia

Família real Ampliar foto
Retrato oficial de noivado do príncipe Harry da Inglaterra com Meghan Markle. AFP

O palácio de Kensington divulgou nesta quinta-feira o primeiro retrato oficial do príncipe Harry com Meghan Markle, para comemorar o noivado do neto da rainha Elizabeth II da Inglaterra. O casal, que se casará em 19 de maio na capela de São Jorge, no castelo de Windsor, foi retratado por Alexi Lubomirski, um fotógrafo de moda radicado em Nova York. A expectativa era que o profissional escolhido fosse Mario Testino, amigo íntimo da falecida princesa Diana, mãe do noivo, e o escolhido pelo príncipe William e por Kate Middleton para as duas fotos oficiais do seu noivado, em 2010. Lubomirski já foi assistente do consagrado peruano Testino.

Também foram divulgados dois retratos oficiais dos futuros noivos. Uma foto colorida feita na residência familiar de Frogmore House, em Windsor, na qual a ex-atriz surpreende com um top com transparências. O outro retrato é muito mais íntimo e pessoal, e em preto e branco; neste, os dois aparecem sorridentes para comemorar o noivado. A sessão de fotos aconteceu nesta semana. “Não posso evitar sorrir quando fizemos as fotos deles, tal era sua felicidade juntos”, afirmou Lubomirski.

Retrato oficial do príncipe Harry e Meghan Markle feita por Alexi Lubomirski para comemorar o noivado. ampliar foto
Retrato oficial do príncipe Harry e Meghan Markle feita por Alexi Lubomirski para comemorar o noivado. REUTERS

Umas horas depois, o palácio de Kensington divulgou uma terceira imagem, embora esta não seja considerada um retrato oficial, pois aparecem com uma atitude um pouco mais informal, passeando pelos jardins da Frogmore House no dia da sessão de fotos. Um gesto que quiseram ter como um modo de agradecer “as afetuosas e calorosas mensagens que receberam numa época tão feliz de suas vidas”, segundo a mensagem publicada na conta oficial do Twitter. E uma imagem em que se observa em sua totalidade o estilismo escolhido por Markle para comemorar seu noivado, uma saia de babados em organza e um corpete de tule com detalhes bordados em dourado da grife Ralph & Russo, que surpreendeu por parecer mais adequado a um tapete vermelho do que a uma sessão de fotos à luz do dia.

É de se esperar que agora se esgote o vestido com transparências que a ex-atriz norte-americana ostentou. Isso é o que aconteceu com o último traje que Markle escolheu para participar de um almoço real. Os meios de comunicação e os seguidores da estrela da televisão nem sequer precisaram ver o traje completo que ela usou na quarta-feira passada para localizá-lo na Internet. Nesta quarta, a noiva de Harry chegou ao palácio de Buckingham no banco do passageiro do carro dirigido por seu noivo, para participar do tradicional almoço com o qual a família real britânica dá a largada para as festas natalinas. Ela não desceu do carro em público, nem foi captada de corpo inteiro pelas câmeras, e só deixou ver a parte superior do modelo escolhido para o evento que representava sua entrada oficial na família Windsor. Pois bem, o vestido se esgotou em menos de 24 horas.

Trata-se de um traje preto e branco, chamado Nightshade Midi Dress, da grife londrina Self-Portrait, que custa 300 libras (cerca de 1.320 reais), embora no site apareça em promoção pela metade do preço. A parte superior é de renda preta de guipur com detalhes florais em rosa e branco, e a inferior, uma saia toda preta. Um vestido que a grife criada em 2013 tem em sua versão curta, que também se esgotou. Esse segundo traje também está à venda no The RealReal, ou estava, porque nesse site tampouco é possível comprá-lo, pois todos os tamanhos estão esgotados.

Meghan Markle chega para um almoço na quarta-feira no palácio de Buckingham. ampliar foto
Meghan Markle chega para um almoço na quarta-feira no palácio de Buckingham. Getty Images

Com sua escolha – que foi acompanhada de brincos da Maison Birk de ouro de 18 quilates e diamantes, que custam 3.195 dólares (10.570 reais) –, Meghan Markle pela primeira vez fez um aceno à moda britânica, algo que deixou de lado ao posar com Harry pouco depois de anunciar o casamento, pois sua escolha naquela ocasião recaiu sobre um casaco da marca canadense Line the Label. Naquele dia o site da marca caiu, e a peça acabou sendo rebatizada de casaco Meghan.

Nightshade Midi Dress, o vestido da grife Self-Portrait escolhido por Meghan Markle. ampliar foto
Nightshade Midi Dress, o vestido da grife Self-Portrait escolhido por Meghan Markle.

O chamado efeito Meghan se consolida. Sua amiga Misha Nonoo, que diz ter apresentado o príncipe à atriz, é a estilista responsável pela camisa que Meghan Markle vestiu em sua primeira aparição pública com Harry, em setembro, nos Jogos Invictus, em Toronto. E ela mesma falou da repercussão que isso teve para sua marca, a Mother Denim: “Foi uma surpresa maravilhosa e não tinha nem ideia de que ela a usaria. A exposição foi incrível”, disse a estilista em novembro passado, numa entrevista realizada depois do anúncio do noivado real ao The Evening Standard.

No site The RealReal, o traje escolhido por Markle para o almoço em Buckingham também aparece como esgotado. ampliar foto
No site The RealReal, o traje escolhido por Markle para o almoço em Buckingham também aparece como esgotado.

Com a duquesa de Cambridge ou a rainha Letizia da Espanha também costuma acontecer a mesma coisa quando usam as peças mais acessíveis do seu armário, já que ambas gostam de combinar roupas de grife com artigos de marcas low cost. Isso é o que aconteceu com Letizia e o casaco da Zara de 80 euros (315 reais) ou a blusa de Roberto Verino de 190 (630), que se esgotaram. No caso de Kate Middleton, o mesmo aconteceu quando, em maio de 2016, vestiu um casaco vermelho da Zara de 50 euros (cerca de 200 reais), e este se esgotou em 48 horas. Um feito que voltou a repetir no começo deste mês de dezembro.

MAIS INFORMAÇÕES