Bombeiro furta caminhão e é parado a tiros rumo à Esplanada dos Ministérios

Não se sabe ainda qual seria o objetivo do bombeiro, cujo nome não foi revelado, ao levar a viatura

Vídeo da perseguição em Brasília. YouTube

Na madrugada de domingo (3), um oficial do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal furtou um caminhão do quartel da corporação em Ceilândia (Brasília), e dirigiu em alta velocidade por 20 km até ser parado na região da Esplanada dos Ministérios, após policiais militares acertarem tiros nos pneus da viatura, informou o jornal Correio Braziliense. Em um áudio de uma conversas com a polícia vazado neste domingo, o homem disse: "No Congresso Nacional eu paro. Não vou matar ninguém".

A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social informou que durante todo o percurso viaturas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros acompanhavam o veículo e balizavam o trânsito no sentido de evitar acidentes. Ninguém se feriu. No momento da perseguição, a Esplanada estava parcialmente fechada ao trânsito devido a um evento esportivo marcado para a manhã deste domingo.

"Por volta de 1h50, o veículo foi interceptado na via S1, na altura do Ministério do Planejamento, momento em que viaturas do PATAMO e da ROTAM efetuaram disparos contra os pneus do veículo. O local foi preservado pela Polícia Militar e a perícia da Polícia Civil foi acionada", segundo comunicado da Secretaria da Segurança Pública.

O motorista foi retirado e conduzido ao Quartel do Corpo de Bombeiros, onde foi preso em flagrante, enquadrado nos crimes de furto qualificado, desobediência, danos ao material da administração militar e tentativa de dano, conforme previsto no Código Penal Militar. O militar será submetido à audiência de custódia.

Não se sabe ainda qual seria o objetivo do bombeiro, cujo nome não foi revelado, ao levar a viatura. "Na apuração preliminar do Corpo de Bombeiros, a princípio, não foram encontrados elementos que apontam para a caracterização de atentado terrorista, em conformidade com a Lei 13.260/16, que trata dos crimes de terrorismo", segundo comunicado. Uma das hipóteses é que o bombeiro teve um surto psicótico. Segundo a Polícia Militar, ele tem 44 anos e estaria lotado no 8º Grupamento de Bombeiro Militar.

Vários vídeos sobre a perseguição foram divulgados no YouTube e áudios sobre supostas conversas da polícia com o bombeiro vazaram no WhatsApp. Em uma das conversas, ele teria dito pelo rádio: "No Congresso Nacional eu paro. Não vou matar ninguém. Não vou atropelar ninguém. Não vou passar por cima de ninguém". Em outra mensagem, enquanto oficiais pediam para ele parar e conversar, o motorista pedia que parassem de atirar, pois ele "não ia matar ninguém".