Ricardo Gareca, o homem que tirou o Mundial do Peru em 1986 e o devolveu 32 anos depois

Treinador argentino foi o autor do angustiante gol que eliminou a seleção peruana do México 86

Ricardo Gareca festejando a classificação para a Copa.
Ricardo Gareca festejando a classificação para a Copa.@SeleccionPeru
Mais informações

Ricardo Gareca é um nome que está escrito no destino do futebol peruano. Para o bem e para o mal. Para festejar ou lamentar. Para aplaudir ou vaiar. Para tudo. E para sempre. É o treinador que nesta quarta-feira conseguiu classificar o Peru para a Copa do Mundo da Rússia depois de 36 anos de ausências em campeonatos do mundo, e o mesmo que, como jogador da seleção argentina, anotou o gol que impediu a alvirrubra de se classificar para o México 86.

"Chega Passarella e Valdano, Passarella, Passarellaaaaa, gol Gareca gol, goool Arrrrrgentino", gritou o narrador naquele 30 de junho de 1985 quando a Argentina recebeu o Peru no Monumental e Ricardo Gareca converteu, aos 81 minutos, o tento do empate que lhes deu a classificação à Copa do México e que mandou o Peru para a repescagem, onde perderia do Chile. Desde então, a seleção peruana nunca voltou a jogar um Mundial. Gareca tampouco. Apesar do gol da classificação, o treinador Carlos Bilardo não o incluiu na lista final e o Tigre, seu apelido, ficou sem disputar a Copa do Mundo que a Argentina ganharia.

Hoje, aos 59 anos e à frente do Peru, Gareca pode desprender de sua casa o cartaz de vilão e substituí-lo pelo de herói. “Esta é a conquista mais importante que me coube viver”, afirmou emocionado depois da vitória de 2x0 do Peru contra a Nova Zelândia na partida de volta da repescagem.

O DIA EM QUE JOSÉ PÉKERMAN PREVIU O FUTURO

Quase como se tivesse a bola de cristal no lugar da bola de futebol, José Pékerman, treinador da seleção colombiana, garantiu há dois anos que Ricardo Gareca levaria o Peru outra vez a uma Copa. Era outubro de 2015 e, depois da partida em que a Colômbia venceu os peruanos por 2x0 na primeira jornada das eliminatórias sul-americanas, o técnico se aproximou do jogador peruano Carlos Lobatón, e apontando para Gareca, lhe disse: “Acreditem nele. Vai levar vocês ao Mundial”.

Gareca sorriu e deu uma pancadinha carinhosa na cabeça de Pékerman, como agradecendo-lhe a confiança, sem saber tudo o que aconteceria depois. Desde esse dia inicial, o Peru oscilou entre as posições sete e nove chegando ao penúltimo depois da metade das eliminatórias. Mas o Tigre se comportou como tal, e sem relaxar, conseguiu 15 pontos dos últimos 24 com quatro vitórias, três empates e só uma derrota que o catapultaram à zona de repescagem.

Já na última data, o Peru voltou a enfrentar a Colômbia. E na coletiva de imprensa prévia à partida um jornalista lembrou Pékerman daquele momento e lhe perguntou se continuava pensando o mesmo sobre Gareca e a possibilidade de ir ao Mundial. “Até amanhã às 6h30 da tarde continuo pensando igual”, disse entre sorrisos o técnico colombiano. A essa hora ambas as seleções iriam se enfrentar e já não podia ser imparcial. “De verdade me alegro muito por ele, pelo povo do Peru e pela decisão de respaldar um projeto que no futebol sabemos que não é fácil”, acrescentou.

Essa partida entre a Colômbia e o Peru terminou em 1x1. James Rodríguez abriu o marcador para a equipe visitante no começo do segundo tempo e paralisou todo o estádio até que aos 31 minutos apareceu o capitão Paolo Guerrero. E fez o impensável: mandou direto contra o gol um tiro livre que era indireto. E teve a sorte de que David Ospina tocasse a bola antes de ela terminar no fundo da rede. Era o gol do empate. Um empate que lhes permitiria jogar a repescagem. E uma repescagem que finalmente os coloca de volta em um Mundial. Pékerman tinha razão.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: