Seleccione Edição
Login

Alessandra Ambrosio: “Não é preciso estar magra, é preciso estar em forma”

Modelo brasileira, a ‘angel’ mais antiga da Victoria’s Street, segue no auge da carreira aos 36 anos, trabalhando, hoje, sem as pressões do início

Alessandra Ambrosio, no desfile de Julien Macdonald em Londres. Ampliar foto
Alessandra Ambrosio, no desfile de Julien Macdonald em Londres.

Aos 36 anos, Alessandra Ambrosio acumula 21 deles na elite de sua profissão sem que os vaivéns dos padrões de beleza tenham alterado o seu status. Aparecendo em 13º lugar na lista da Forbes das modelos mais bem remuneradas em 2016, ela combina a atividade de ‘angel’ da Victoria’s Street com campanhas para marcas como Omega ou Cîroc, capas de revistas masculinas e femininas do mainstream ou de nicho (da GQ à Narcisse) e desfiles selecionados a dedo, como o da Balmain duas temporadas atrás ou o de Julien Macdonald na última segunda-feira dentro da Semana da Moda de Londres.

“Quando comecei, eu percorria todas as semanas de moda e fazia uma apresentação atrás da outra. Acabava esgotada, mas é o que acontece quando se é jovem, e valeu a pena”, conta, nos bastidores de Macdonald, onde recebe EL PAÍS. “Agora vivo de outra maneira: venho a Londres, faço um só desfile, vejo amigos que fazia tempo não encontrava e passo um bom momento. Ainda gosto, mas em pequenas doses”, acrescenta.

Alessandra Ambrosio, em Milão.
Alessandra Ambrosio, em Milão. EFE

Ambrosio também está na passarela londrina na condição de embaixadora global da vodca Cîroc, que é uma das patrocinadoras do desfile de Macdonald e o provedor das centenas de coquetéis que passam de mão em mão na festa que o precede. O criador, por sua vez, desenhou um vestido inspirado na garrafa azul característica da marca, com o qual a brasileira faz sua aparição. Sinergias que ajudam a fazer com que o maquinário da moda continue girando e apontam ao que se espera agora das modelos. Ambrosio não só desfila: dá entrevistas nos bastidores ou escreve nas redes sociais da marca. O projeto a reuniu com o fotógrafo Mario Testino, que também é diretor de criação: “Mario é, sem sombra de dúvida, um dos melhores fotógrafos do mundo. Para a Cîroc quis refletir a vida em tom de alegria e celebração, porque ele é exatamente assim: sempre está de bom humor e cheio de energia. Além do mais, adora o Brasil. Sinto por ele muito carinho, como nós dizemos.”

Imagem da última campanha de Alessandra Ambrossio, fotografada por Mario Testino.
Imagem da última campanha de Alessandra Ambrossio, fotografada por Mario Testino.

Com outra brasileira, a modelo Adriana Lima, Ambrosio é a 'angel' mais veterana da Victoria's Secret: desfila ininterruptamente para a empresa de lingerie desde 2000, e seu contrato, dizem, chega a sete cifras. Em novembro exibirá de novo suas asas, desta vez em Xangai, e afirma ser a primeira surpreendida: “Quando comecei com eles estava nas nuvens, e continuar aqui 17 anos depois é quase surreal. Me sinto feliz de poder demonstrar que a idade não é um impedimento para você se manter no alto da profissão”.

Transformado em uma espécie de Super Bowl da moda, o desfile é hoje um espetáculo global em que cada detalhe interessa e que 800 milhões de pessoas de 190 países acompanham pela televisão. Mas também tem sido criticado pela falta de diversidade e pelas dietas extremas às quais as modelos se submetem. A própria Ambrosio declarou à revista The Edit que para se recuperar do parto de sua filha a tempo de desfilar se alimentou com 1.200 calorias diárias, mas hoje se esquiva da polêmica: “Não se trata de estar magra, mas em forma. Quando se aproxima a data do desfile e começo a treinar mais, me sinto bem comigo mesma porque ao mesmo tempo que me preparo para o evento sei que estou fazendo algo bom para o meu corpo”.

Com dois filhos, Anja e Noah, com o empresário Jamie Mazur, com quem está comprometida desde 2008, concilia a vida familiar em Los Angeles com os compromissos como modelo, com a gestão da própria empresa de moda, ále by Alessandra, e com seu trabalho como embaixadora da Sociedade Nacional de Esclerose Múltipla, dos Estados Unidos. Mas esse nível de atividade não impede que sua hashtag mais utilizada seja #foreveronvacation, embora diga que o “modo férias” é para ela um estado mental: Toda vez que uso essa hashtag é porque estou desfrutando de algo que estou fazendo; pode ser meu trabalho, férias, sair com meus amigos ou estar em casa com minhas crianças. É uma espécie de mantra: quero sentir que faço as coisas porque quero, e não porque tenho de fazê-las”.

Nove milhões de seguidores

Considerada um dos “ícones do setor” pelo site Models.com, ninguém rotularia Alessandra Ambrosio como uma instagirl. E, no entanto, com quase nove milhões de seguidores só em sua conta do Instagram, supera em quantidade –e, portanto, em poder de influência –muitas das chamadas “supermodelos sociais”. Ambrosio alcançou o sucesso sem essa ferramenta de promoção a seu alcance; o que as redes sociais propiciaram de bom e de ruim ao seu trabalho? “Às vezes a sua vida fica exposta demais e você perde privacidade, mas ao mesmo tempo você tem a oportunidade de expressar sua opinião e as pessoas entendem que você não é só um rosto, também tem voz. Além disso, é uma ferramenta que pode ser controlada: você decide o que e quando publicar, te ajuda a estabelecer contato com os fãs e permite que a sua mensagem chegue a todas as partes, e você pode esclarecer qualquer assunto em dois segundos.”

MAIS INFORMAÇÕES