Michael Kors compra a grife de luxo Jimmy Choo por 3,67 bilhões de reais

Acordo entre as empresas inclui um ágio de 18% sobre o valor das ações registrado nesta segunda-feira

Uma das lojas da grife Jimmy Choo, na Suíça.
Uma das lojas da grife Jimmy Choo, na Suíça.Arnd Wiegmann (REUTERS)

A marca norte-americana Michael Kors anunciou nesta terça-feira a compra da grife de calçados de luxo Jimmy Choo, da Grã-Bretanha, por 896 milhões de libras (3,67 bilhões de reais). Em abril, a empresa revelou que estava à venda, dois anos depois de lançar ações na Bolsa de Londres.

Mais informações
Lava Jato faz Havaianas trocar de donos pela segunda vez em menos de dois anos
Buffett lucra 12 bilhões de dólares após seis anos de investimento no Bank of America
Coca-Cola reduzirá açúcar das bebidas em 12% até 2020

O transação já foi aprovada pelos conselhos de administração de ambas as companhias. Os acionistas da Jimmy Choo receberão 2,30 libras por cada título da companhia em seu poder, o que representa um ágio de 18% com relação ao valor de fechamento do pregão de segunda-feira na Bolsa de Londres. Além disso, o acordo representará para os acionistas um ganho de 36,5% em relação a 21 de abril, logo antes do anúncio de que a Jimmy Choo estava à venda.

A Michael Kors informou que a operação, que espera concluir no decorrer do quarto trimestre, não está sujeita a nenhuma condição de financiamento, pois a empresa norte-americana já obteve um crédito-ponte dos bancos JPMorgan Chase Bank e Goldman Sachs para cumprir as exigências impostas pelas autoridades britânicas.

A fábrica britânica de calçados, criada há mais de 20 anos pelo malaio Jimmy Choo e pela então editora da revista de moda VogueTamara Mellon, comercializa sapatos de luxo usados por personalidades como Michelle Obama, Kate Middleton, Nicole Kidman e Lady Gaga.

A marca norte-americana anunciou que obteve o compromisso do acionista principal da Jimmy Choo, o fundo de investimentos de Luxemburgo JAB Luxury, e de diretores da grife britânica. Juntos, esses dois grupos controlam 69,21% do capital da Jimmy Choo. O mínimo para aceitação da proposta foi fixado em 75%. A Michael Kors planeja desenvolver a marca com a abertura de novas lojas e a venda pela Internet.

“Acreditamos que a Jimmy Choo está preparada para um crescimento significativo no futuro, e nossa empresa tem o compromisso de apoiar o forte valor de marca que a Jimmy Choo construiu nos últimos 20 anos”, afirmou John D. Idol, presidente e executivo-chefe da Michael Kors.

Idol acrescentou que Pierre Denis continuará sendo o CEO da Jimmy Choo, cargo que ocupa desde 2012, e que a diretora e criação Sandra Choi seguirá liderando as equipes de criação e design da marca.

A Jimmy Choo conta com mais de 150 lojas em diversos países, incluindo algumas das mais prestigiosas do mundo, segundo a empresa. Em 2016, faturou 364 milhões de libras (1,49 bilhão de reais) com um lucro líquido de 15,4 milhões de libras (63 milhões de reais).

A marca Michael Kors, por sua vez, conhecida por sua acessórios e linha de prêt-à-porter, foi lançada em 1981. Tem ações negociadas na Bolsa de Nova York e está presente em uma centena de países, com um faturamento anual de 4,5 bilhões de dólares (14,6 bilhões de reais).

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS