Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Michael Kors compra a grife de luxo Jimmy Choo por 3,67 bilhões de reais

Acordo entre as empresas inclui um ágio de 18% sobre o valor das ações registrado nesta segunda-feira

Uma das lojas da grife Jimmy Choo, na Suíça.
Uma das lojas da grife Jimmy Choo, na Suíça. REUTERS

A marca norte-americana Michael Kors anunciou nesta terça-feira a compra da grife de calçados de luxo Jimmy Choo, da Grã-Bretanha, por 896 milhões de libras (3,67 bilhões de reais). Em abril, a empresa revelou que estava à venda, dois anos depois de lançar ações na Bolsa de Londres.

O transação já foi aprovada pelos conselhos de administração de ambas as companhias. Os acionistas da Jimmy Choo receberão 2,30 libras por cada título da companhia em seu poder, o que representa um ágio de 18% com relação ao valor de fechamento do pregão de segunda-feira na Bolsa de Londres. Além disso, o acordo representará para os acionistas um ganho de 36,5% em relação a 21 de abril, logo antes do anúncio de que a Jimmy Choo estava à venda.

A Michael Kors informou que a operação, que espera concluir no decorrer do quarto trimestre, não está sujeita a nenhuma condição de financiamento, pois a empresa norte-americana já obteve um crédito-ponte dos bancos JPMorgan Chase Bank e Goldman Sachs para cumprir as exigências impostas pelas autoridades britânicas.

A fábrica britânica de calçados, criada há mais de 20 anos pelo malaio Jimmy Choo e pela então editora da revista de moda VogueTamara Mellon, comercializa sapatos de luxo usados por personalidades como Michelle Obama, Kate Middleton, Nicole Kidman e Lady Gaga.

A marca norte-americana anunciou que obteve o compromisso do acionista principal da Jimmy Choo, o fundo de investimentos de Luxemburgo JAB Luxury, e de diretores da grife britânica. Juntos, esses dois grupos controlam 69,21% do capital da Jimmy Choo. O mínimo para aceitação da proposta foi fixado em 75%. A Michael Kors planeja desenvolver a marca com a abertura de novas lojas e a venda pela Internet.

“Acreditamos que a Jimmy Choo está preparada para um crescimento significativo no futuro, e nossa empresa tem o compromisso de apoiar o forte valor de marca que a Jimmy Choo construiu nos últimos 20 anos”, afirmou John D. Idol, presidente e executivo-chefe da Michael Kors.

Idol acrescentou que Pierre Denis continuará sendo o CEO da Jimmy Choo, cargo que ocupa desde 2012, e que a diretora e criação Sandra Choi seguirá liderando as equipes de criação e design da marca.

A Jimmy Choo conta com mais de 150 lojas em diversos países, incluindo algumas das mais prestigiosas do mundo, segundo a empresa. Em 2016, faturou 364 milhões de libras (1,49 bilhão de reais) com um lucro líquido de 15,4 milhões de libras (63 milhões de reais).

A marca Michael Kors, por sua vez, conhecida por sua acessórios e linha de prêt-à-porter, foi lançada em 1981. Tem ações negociadas na Bolsa de Nova York e está presente em uma centena de países, com um faturamento anual de 4,5 bilhões de dólares (14,6 bilhões de reais).

MAIS INFORMAÇÕES