Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Buffett lucra 12 bilhões de dólares após seis anos de investimento no Bank of America

Oráculo de Omaha apoiou instituição financeira quando ela precisou de capital e virou seu principal acionista

O presidente do Berkshire Hathaway
O presidente do Berkshire Hathaway AP

Warren Buffett passa a ser o maior acionista do Bank of America após realizar a troca dos ativos que adquiriu do segundo maior grupo financeiro nos Estados Unidos quando a entidade precisava de liquidez. A operação significará um lucro próximo aos 12 bilhões de dólares se compararmos o preço pelo qual ele comprou os títulos com o valor de troca das ações seis anos depois.

O Oráculo de Omaha apoiou o Bank of America quando ainda se duvidava que a empresa teria a capacidade de superar o golpe da crise financeira. Buffett injetou 5 bilhões em troca de títulos preferenciais e o direito de adquirir 700 milhões em ações. O investimento foi semelhante ao que fez no Goldman Sachs e na General Electric em pleno colapso do sistema financeiro.

O Berkshire Hathaway, o conglomerado através do qual realiza seus investimentos, adquiriu as ações por pouco mais de sete dólares a unidade. Nos últimos seis anos, elas valorizaram 240%. Esse pacote vale agora 17 bilhões. Buffett, astuto e paciente, é o único que pode conseguir esses acordos e volta a demonstrar até que ponto seu apoio é vital para uma corporação.

A troca acontece dois dias depois que o Federal Reserve deu a aprovação final para o plano de capital do Bank of America, considerando que possui um colchão de liquidez forte o suficiente para suportar uma crise grave. A entidade está autorizada, assim, a aumentar os dividendos aos acionistas em 60%. Buffett não quis esperar até 2021 para exercer seus direitos.

MAIS INFORMAÇÕES