Futebol

Donnarumma, o goleiro do futuro

Goleiro italiano, de 1,96 m e 18 anos, reúne as condições para ser o jogador de referência da sua posição na próxima década Todos os times grandes o querem, e o Milan luta para mantê-lo no seu elenco

Donnarumma, durante o Europeu sub-21.
Donnarumma, durante o Europeu sub-21.Stephen Pond (Getty Images)

Na primeira vez em que Gianluigi Donnarumma esteve na vitrine do futebol, era apenas um imberbe adolescente de 16 anos. Era outubro de 2015, e Gigio, como é conhecido, acabava de roubar do veterano Diego López a titularidade do gol do Milan. Quase duas temporadas depois, confirma-se que a decisão de Siniša Mihajlovic, então técnico da equipe rossonera, de fazer dele o goleiro titular mais jovem na história da Serie A (a Liga Italiana) não foi um arrebatamento circunstancial. “Desde os primeiros treinos, percebi que ele estava destinado a ser um dos melhores do mundo”, afirma López, seu primeiro colega profissional. Donnarumma, que nesta terça-feira enfrenta a Espanha pela semifinal do Europeu Sub-21, disputado na Polônia, virou referência na sua geração e já é considerado o goleiro com maior futuro do futebol mundial, o substituto de Gianluigi Buffon na seleção italiana e talvez também na Juventus.

Mais informações

“Suas condições físicas, atípicas para um garoto da sua idade, e seu talento me surpreendiam dia após dia”, recorda López. “Ele gosta de treinar, escuta, e observa o que tem a melhorar. Na sua idade, tem muita margem de melhora, mas para mim já é um dos melhores do mundo. Se continuar com a mesma progressão, imagine aonde pode chegar.” Com um físico privilegiado, 1,96 metro de altura e 90 quilos de peso, Donnarumma reúne todas as condições para se tornar o goleiro de referência da próxima década. Ágil, privilegiado sob as traves e em questão de reflexos, valente e seguro no jogo aéreo e confiável com os pés, o arqueiro italiano domina todos os aspectos exigidos de um goleiro no século XXI. “Para mim, embora no futebol nunca se saiba ao certo, estamos diante do goleiro do futuro”, arrisca López.

Sem nenhum erro relevante em seu currículo de um ano e meio na elite do futebol italiano, destacou-se em alguns fundamentos nesta temporada da Série A. Donnarumma, que não foi vazado em 12 dos 38 jogos que disputou, sofreu uma média de 1,18 tento por partida e terminou o torneio como o goleiro mais atuante (146 intervenções) e maior percentual de defesas (77%). “Ele soube jogar num gol difícil, como o do Milan neste momento complicado. Isso mostra que tem uma enorme força mental e uma grande confiança nas suas possibilidades”, observa o colega. Nascido em 25 de fevereiro de 1999 em Castellammare di Stabia, um município da cidade de Nápoles, Donnarumma estende sua precocidade do Milan (onde já acumula 72 jogos) à seleção italiana, na qual Buffon, sua referência, lhe entregará o bastão depois da Copa da Rússia, daqui a um ano. O goleiro do Milan ainda não atuou pela seleção principal em jogos oficiais, mas já se tornou o segundo estreante mais jovem da história, ao substituir Buffon num amistoso contra a França, na sua primeira convocação, em setembro de 2016.

O futebol europeu segue de perto o desenvolvimento desse talento precoce que poderá estar liberado em junho de 2018. Há duas semanas, seu representante, Mino Raiola, e o próprio Milan anunciaram que Donnarumma estaria liberado para firmar como outros clubes em 2018, pois não haviam chegado a um acordo sobre a renovação de contrato. Neste domingo, Donnarumma disse que voltará a se reunir com a direção do clube, mas a possibilidade de contratar o jovem goleiro a custo zero a partir de junho próximo já atiçou o interesse de equipes como Real Madrid, Manchester United, PSG e Juventus. “Todo mundo diz que é um grande jogador. Certamente o estamos observando, mas não vamos contar tudo o que fazemos”, disse sobre ele o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, numa recente entrevista à rádio Onda Zero. Avaliado em 25 milhões de euros (93,3 milhões de reais) pelo portal Transfermarkt, seu preço no mercado atual romperia qualquer recorde relativo a goleiros. Por enquanto, o Milan rejeita uma transferência imediata e briga para manter Donnarumma, o goleiro do futuro.