Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Copenhague, a cidade mais feliz do mundo

Locais da capital dinamarquesa que ajudam a entender a maneira particular de encarar a vida

A rua de Værnedamsvej, em Copenhague. Ampliar foto
A rua de Værnedamsvej, em Copenhague.

Copenhague tem um dos níveis de vida mais altos do mundo, mas o bem-estar neste país não tem ostentação nem se traduz em objetos de luxo. Lá se respira uma agradável sensação de conforto e felicidade baseada em saber desfrutar a vida à base de planos simples e descontraídos, em solidão ou em boa companhia. Os dinamarqueses chamam isso de hygge (pronuncia-se “ruga”), termo de difícil tradução. Meik Wiking, diretor do Instituto da Busca da Felicidade de Copenhague, afirma em seu livro Hygge, a felicidade nas pequenas coisas que o segredo do estilo de vida dinamarquês está na calma e na calidez do lar. Um estilo de vida “simples”, “barato” e que pode ser aplicado a “qualquer aspecto” da vida cotidiana, como a luz, a roupa, a comida, o lar ou as relações sociais, e que pode ser descoberto facilmente em um passeio por Copenhague.

Pode-se dizer que o hygge é essa sensação agradável que se respira quando os dinamarqueses se reúnem em grupos de duas ou mais pessoas. Tais pessoas não têm por que ser amigas — de fato, pode ser que nem se conheçam —, mas quando uma conversa é entabulada (de preferência, para que flua bem, evitam-se temas polêmicos, como política) em um tom afável e se brinda ao lado do fogo ou, na falta dele, à luz das velas, o hygge começa a impregnar o ambiente.

Alguns dos melhores cenários da cidade para experimentar o hygge como manda a tradição são o parque do Tívoli, o pub Bankerat, o hipster Dyrehaven e o salão de chá La Glace. Mas também podemos sentir um hygge mais contemporâneo em restaurantes como Manfreds on Vin, OI & Brod, Ved Stranden e Lidkoeb, presentes nesta rota hyggelig por Copenhague para descobrir esta forma de entender a vida e ser feliz.

Entardecer em Nyhavn, em Copenhague. ampliar foto
Entardecer em Nyhavn, em Copenhague.

01 Nyhavn (Porto Novo)

Relaxar contemplando as pessoas

Nyhavn é um canal construído no século XVII para unir o porto à cidade. É margeado por casas de estilo holandês em cores diferentes de cartão postal. Esta já foi uma parte decadente da cidade, com seus marinheiros brigões e suas “mulheres de vida alegre”. Atualmente, pode ser visitado em qualquer um de seus muitos restaurantes, onde se experimenta arenque em escabeche e aguardente. Se essa não for a sua, e o tempo estiver bom, faça como os locais: compre umas cervejas, sente-se na amurada e observe o movimento da cidade.

Nyhavn é uma visita imprescindível de qualquer viagem a Copenhague e é preciso partir daí para descobrir não só a cidade e suas ruas como também sua “alma hyggelig”: ao norte está o bairro de Frederiksstaden, sede do palácio de Amalienborg, da suntuosa Marmorkirken e do Designuseum Danmark. Frederiksstaden se estende até Kastellet e a famosa estátua da Pequena Sereia.

Confeitaria La Glace, em Copenhague. ampliar foto
Confeitaria La Glace, em Copenhague.

02 La Glace

Chá quente e torta de nozes

La Glace é a konditori (confeitaria) mais antiga da Dinamarca: vem deleitando seus clientes desde 1870. É impossível resistir a um pedaço de valnoddekage — um pecado em forma de torta de nozes caramelizadas, chantilly e café glaceado —, e o mesmo se pode dizer do sportskage, que leva torrone, creme de leite e profiteroles. Em seu livro, Meik Wiking nos convida a visitar La Glace com estas palavras: "se existisse 'O Caminho' das tortas, La Glace seria a catedral de Santiago de Compostela”.

Parque de diversões de Tívoli, em Copenhague. ampliar foto
Parque de diversões de Tívoli, em Copenhague.

03 Os jardins de Tívoli

'Hygge' para crianças e adultos

Esse parque de atrações é o segundo mais antigo do mundo e um dos lugares mais turísticos do país. Mistura de atrações de feira, luzes e magia, capaz de levantar o ânimo de qualquer um, os jardins de Tívoli foram fundados em 1843 e são uma atração clássica de Copenhague; de fato, muitos dinamarqueses compram entradas anuais. Apesar de grande parte deles o visitarem durante o verão, o melhor momento para o hygge é quando o Tívoli se veste de gala para o Natal e o Ano Novo (geralmente de meados de novembro até janeiro). É uma celebração da luz: centenas de milhares de luzes transformam os jardins em um lugar mágico em meio a escuridão do inverno, e é possível tomar um gløgg perto de uma das fogueiras no jardim ou se esquentar ao lado da lareira do bar Nimb.

Canal no bairro de Christianshavn, em Copenhague. ampliar foto
Canal no bairro de Christianshavn, em Copenhague. GETTY IMAGES

04 Christianshavn

Um passeio de barco

Christianshavn faz parte do centro da cidade de Copenhague, mas está separado do resto pelo porto interior. É dominado por canais e pode lembrar um pouco Amsterdã. A melhor forma de visitar essa parte da cidade é alugar um barco e remar por seus canais, e para que o momento seja totalmente hyggelig, é bom levar toalhas, vinho e uma cesta de piquenique. É possível encerrar com uma kanelsnegle (rosca de canela) da padaria Lagkagehuset, e almoçar ao lado do porto em algum de seus restaurantes. Os canais, as curiosas igrejas e as muralhas verdes de Christianshavn fazem desse bairro um dos mais bonitos da cidade. É uma área residencial onde moram artistas, executivos que querem parecer boêmios e uma grande comunidade de groenlandeses. E no meio da ilha, como um hippie preso no tempo, está a chamativa comunidade de Christiania. Na ilha estão também três dos melhores restaurantes da cidade (Noma, Kadeau e Kalanen).

Terraço na praça de Grabrodretorv, em Copenhague. ampliar foto
Terraço na praça de Grabrodretorv, em Copenhague.

05 Grabrodretorv

Uma praça muito 'hyggelige'

É um lugar que, por estar cercado de casas antigas, transporta você facilmente alguns séculos atrás. Essa praça hyggelige recebe seu nome do monastério dos Irmãos Cinzas (Grå brødre), construído em 1238. É cheia de restaurantes acolhedores, como o Peder Oxe, onde se pode comer o clássico smørrebrød dinamarquês e aproveitar o calor do fogo. Até mesmo um dos cabeleireiros da praça tem lareira (e um buldogue francês que dormirá placidamente em seu colo enquanto cortam seu cabelo). Hygge total.

O restaurante Granola, em Copenhague. ampliar foto
O restaurante Granola, em Copenhague.

06 Vaernedamsvej

Sossego em Vesterbro

Os habitantes de Copenhague sentem especial carinho por Vaernedamsvej, uma ruazinha que é comparada com Paris. Ninguém pode negar que é das mais atraentes de Vesterbro graças às suas lojas, cafeterias, bistrôs e, principalmente, pelo ambiente muito autêntico tão apreciado pelos viajantes. Como alguns comércios fecham nos finais de semana, é bom ir de segunda a sexta para aproveitar ao máximo a experiência.

Em Vaernedamsvej os carros desviam de ciclistas e pedestres que passeiam tranquilamente sentindo o aroma de flores e café. Floriculturas, cafeterias, bares e lojas de decoração fazem de rua um lugar estupendo para passar uma tarde de sossego e hyggelig. Aqui está por exemplo o Granola, um lugar que lembra uma loja antiga que lota na hora do café da manhã e durante o brunch dos finais de semana. O Falernum, onde as cadeiras antigas, o chão de madeira gasta, as prateleiras de garrafas e as melodias tão relaxantes o transformam em um local adorável. Além dos mais de 40 vinhos servidos em taça, o local serve cervejas artesanais, café e vários pratos para dividir.

Smorrebrod no restaurante Aamanns Deli & Take Away de Copenhague. ampliar foto
Smorrebrod no restaurante Aamanns Deli & Take Away de Copenhague.

07 Smørrebrød

Um ritual gastronômico

Existem poucas coisas mais dinamarquesas do que o smørrebrød, uma palavra que significa, literalmente, pão com manteiga. É um sanduíche aberto de pão de centeio que os dinamarqueses adoram e costuma ser uma das primeiras coisas que sentem falta quando vivem no exterior. Mas alguns estrangeiros que vivem na Dinamarca o chamam de “as sandálias do diabo” por sua dificuldade em mastigá-lo e seu peculiar sabor.

Apesar disso, é preciso prová-lo: o smørrebrød é, em todos os sentidos, uma experiência autêntica de refeição dinamarquesa e pode ter um número quase ilimitado de ingredientes, desde arenque até carne crua, ovos e marisco; alguns têm nomes tão pitorescos como “a refeição noturna do veterinário”. O smørrebrød é servido acompanhado, geralmente, de cerveja e aguardente. Em Copenhague existe uma infinidade de estabelecimentos de smørrebrød tradicionais e comê-lo no almoço, como dizem os dinamarqueses, te dá hygge por muito tempo.

Balcão do Library Bar. ampliar foto
Balcão do Library Bar.

08 Library Bar

Oásis urbano com ares de clube

No Hotel Plaza, perto da estação central de trem, se encontra o Library Bar, que abriu suas portas em 1914. Foi escolhido recentemente como um dos cinco melhores “oásis para gentlemen” no mundo, com suas prateleiras de madeiras cheias de livros antigos encadernados em pele (alguns deles primeiras edições), seus sofás, os painéis de madeira e uma iluminação muito hyggelig. O bar oferece música ao vivo de vez em quando, mas em uma noite tranquila é perfeito para uma conversa sossegada e profunda. Se você está visitando a cidade para o Natal, verá uma árvore de Natal pendurada de cabeça para baixo do teto.

09 Bankerat

Irreverente e artístico

O moderno também pode ser hygge. É o caso do Bankerat, um cativante pub de Norreport, descontraído e elegante, decorado com mictórios irreverentes e animais empalhados tão insólitos como um carneiro com roupa de época. Tudo é obra do artista local Philip Jensen, que também desenhou os mictórios em forma de boca. A pergunta é: isso é realmente arte? Um bom assunto de discussão enquanto se toma uma Calsberg.

10 Dyrehaven

Quando o operário se torna hipster

O antigo fica em moda nesse local tão hipster de Vesterbro. Em sua época, o Dyrehaven era um bar de operários que não possuía muitos atrativos. Mas com o passar dos anos se transformou no local favorito dos jovens boêmios do bairro. O ar que se respira é cordial, a bebida tem um bom preço e servem pratos simples: o mais clássico é o kartoffelmad, uma torrada de batata com ovos, maionese e chalotas.

Interior do restaurante Manfreds og Vin, em Copenhague. ampliar foto
Interior do restaurante Manfreds og Vin, em Copenhague.

11 Manfreds og Vin

O ecológico também é 'hygge'

Esse acolhedor restaurante com pratos e vinhos excepcionais é um bistrô da última moda que oferece o mais agradável ambiente. Muita gente toma um vinho aqui ao sair do escritório. A procedência dos produtos do dia é indicada em um mapa da Dinamarca e os garçons demonstram paixão por seu trabalho. No Manfreds a aposta é pela simplicidade e pelos ingredientes ecológicos tão sensacionais como os espinafres salteados com pão frito e ovos escalfados e os brócolis crocante com queijo, cebola e triguilho tostado.

Mesas no restaurante Ol & Brod, em Copenhague. ampliar foto
Mesas no restaurante Ol & Brod, em Copenhague.

12 Ol & Brod

Para comer com classe

A concepção, a comida, a cerveja e a hospitalidade de sempre se misturam nesse local com um toque moderno. Os móveis de estilo modernista dinamarquês, a cristaleira de Arne Jacobsen e uma decoração em tons cinzas e verdes geram o ambiente perfeito para degustar o smørrebrød contemporâneo. O Ol & Brod oferece menus de cinco e sete pratos – esse último, com cerveja artesanal incluída – que trazem reinvenções tão elegantes como o peito defumado de ganso com um ovo ligeiramente cozido, milho fervido e cerefólio. Além disso, dizem que tem a maior coleção de akvavit e snaps da Dinamarca.

Vinhos em Vejam Stranden, em Copenhague.
Vinhos em Vejam Stranden, em Copenhague.

13 Ved Stranden 10

''Hygge' com um bom vinho

Os enófilos mais versados sabem o que fazer na hora de degustar o melhor vinho: visitar o Ved Stranden 10, onde oferecem uma boa seleção de envelhecidos europeus e vinhos biodinâmicos. O local, com espaços agradáveis e um serviço muito atencioso, se orgulha do projeto modernista dinamarquês e de ser frequentado pelos maiores especialistas. Tem várias salas perfeitas para conversar tranquilamente enquanto o vinho pode ser provado com queijo e carne defumada.

Recanto do Lidkoeb Coquetel Bar, em Copenhague.
Recanto do Lidkoeb Coquetel Bar, em Copenhague.

14 Lidkoeb

A sedução das velas

Chegar ao Lidkoeb é como brincar de esconde-esconde: é preciso seguir as placas até o segundo pátio, o das luzes. O prêmio por encontrá-lo são seus fantásticos coquetéis. As cadeiras de Borge Mogersen garantem conforto para brindar pelo talento e o bom gosto dinamarquês com bebidas nórdicas como o Koldskal, um coquetel de vodca que dá um toque inovador à famosa sobremesa nacional, elaborada à base de soro de manteiga. Além disso, no andar de cima o estabelecimento oferece mais de 100 opções de whisky.

Mais informação no livro Hygge. A felicidade nas pequenas coisas, de Meik Wiking (Libros Cúpula), e no Guia de Copenhague do Lonely Planet.

MAIS INFORMAÇÕES