Oito hábitos que pensávamos que eram saudáveis (e que seria melhor largar imediatamente)

A saúde é o que importa. É uma afirmação tão frequente como certa, e os dados (e os fatos) assim o confirmam: 49% dos brasileiros elegem a saúde como uma prioridade para os governantes, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), e 70% acreditam que são saudáveis (segundo Índice para uma Vida Melhor, da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, OCDE). <p> A mensagem de que o estilo de vida é fundamental para nos manter saudáveis se difundiu e, por isso, incorporamos à nossa rotina hábitos aparentemente saudáveis. Entretanto, alguns não nos trazem tanto benefício como esperamos (o que não significa que sejam prejudiciais). Esses são alguns dos falsos talismãs:</p>
A saúde é o que importa. É uma afirmação tão frequente como certa, e os dados (e os fatos) assim o confirmam: 49% dos brasileiros elegem a saúde como uma prioridade para os governantes, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), e 70% acreditam que são saudáveis (segundo Índice para uma Vida Melhor, da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, OCDE). <p> A mensagem de que o estilo de vida é fundamental para nos manter saudáveis se difundiu e, por isso, incorporamos à nossa rotina hábitos aparentemente saudáveis. Entretanto, alguns não nos trazem tanto benefício como esperamos (o que não significa que sejam prejudiciais). Esses são alguns dos falsos talismãs:</p>