Atentado em Istambul

Polícia turca divulga imagens do principal suspeito do atentado de Istambul

Família do suposto atirador está sob custódia policial, segundo jornal 'Hürriyet'

Imagem do suposto autor do atentado de Istambul.
Imagem do suposto autor do atentado de Istambul. (AFP)

A polícia turca divulgou imagens do principal suspeito do atentado em Istambul, que deixou 39 mortos e cuja autoria foi reivindicada pelo Estado Islâmico (EI), embora sem revelar seu nome. Uma das fotos parece um selfie tirado pelo próprio suspeito de atacar a boate Reina, uma das mais caras da cidade, na madrugada de 31 de dezembro. As autoridades turcas “conhecem a identidade do atacante e sua família está sob custódia policial”, informou nesta terça-feira o jornal Hürriyet. Segundo o diário, as investigações indicam que o terrorista chegou à Turquia proveniente da Síria, estabelecendo-se em novembro de 2016 na cidade de Konya, no centro do país, acompanhado de sua mulher e dois filhos.

“O agressor tem experiência em combate, claramente. Pode ter combatido na Síria durante anos”, disse uma fonte de segurança à Reuters. A rede de televisão NTV informou também nesta terça que dois estrangeiros foram detidos, nas últimas horas, no aeroporto Ataturk de Istambul, sem revelar mais detalhes sobre as prisões. Na segunda, as autoridades turcas anunciaram a detenção de oito suspeitos vinculados com o ataque, embora nenhum fosse o principal, que continua foragido. Em declarações à imprensa, o vice primeiro-ministro turco, Numan Kurtulmus afirmou que as equipes de investigação conseguiram impressões digitais e uma descrição básica do terrorista.

MAIS INFORMAÇÕES

Jornais turcos noticiaram, com base em informações policiais, que o suspeito poderia ser natural do Quirguistão ou do Uzbequistão. Este último país confirmou que investiga o possível “envolvimento de um cidadão do Quirguistão no atentado de Istambul”, declarou Rakhat Soulaimov, porta-voz dos serviços de inteligência, lembrando que os funcionários estão em contato com os seus pares turcos. É “improvável” que o agressor seja nacional do Quirguistão, disse Soulaimov, mas isso está sendo investigado “de todo jeito”.

Nesta segunda, o autodenominado Estado Islâmico assumiu em comunicado a autoria do ataque e ameaçou “incendiar” o território da Turquia como resposta à intervenção desse país na Síria. Cinco ataques contra objetivos turcos foram atribuídos ao EI nos último ano. Em novembro, o grupo radical jihadista assumiu a responsabilidade por um atentado a bomba em Diyarbakir, embora os autores reais tenham sido militantes curdos que reivindicaram o ataque. 

Arquivado Em: