Delta estuda denúncia de youtuber que afirma que não pôde voar por falar árabe

Em nota, a companhia aérea anunciou que analisará as causas do incidente

Adam Saleh é nova-iorquino, tem 23 anos e 1,6 milhão de seguidores no YouTube. Conforme contou em sua conta do Twitter, ele e um amigo – o youtuber Slim Albaher – foram retirados de um voo da Delta e transferidos para outra companhia aérea depois de o jovem conversar em árabe. Em nota, a empresa prometeu analisar as circunstâncias do incidente. Um dos vídeos gravados pelo youtuber teve mais de 20 milhões de reproduções no Facebook em suas primeiras oito horas.

We got kicked out of a Delta airplane because I spoke Arabic on the phone with my mom and to my friend slim.... please help spread the word

Gepostet von Adam Saleh am Mittwoch, 21. Dezember 2016

Saleh, descendente de iemenitas, pretendia viajar de Londres a Nova York na manhã de 21 de dezembro do aeroporto de Heathrow. Conforme explicava no primeiro vídeo que publicou no Twitter, o jovem conversou em árabe com sua mãe pelo telefone e com seu companheiro Albaher, o que fez muitos passageiros se sentirem incomodados.

Primeiro vídeo ao vivo de Saleh, no qual ele explica as causas que lhe fizeram ser expulso do avião.

“Juro por minha mãe, por minha cabeça, que não estou mentindo, não estou exagerando”, conta o jovem e começa a chorar. Também avisa que gravou tudo e, uma hora depois dessa transmissão, publica no Facebook e no Twitter o vídeo do momento em que estão prestes a ser retirados do avião, que pode ser visto acima. Teve mais de 525.000 compartilhamentos em menos de 24 horas.

Vídeo gravado no avião momentos antes da expulsão dos youtubers.

“Estão nos expulsando porque falamos um idioma diferente. Estamos em 2016. A Delta está nos expulsando do avião por falar um idioma diferente”, diz o jovem no vídeo, já fora de seu assento. “Essas seis pessoas brancas contra nós, os homens de barba”, continua. “Por que eles não são expulsos? Eu me sinto incomodado”. No vídeo pode-se ver que alguns passageiros apoiam Saleh, enquanto outros acenam com o gesto de “adeus”.

Fora da cabine, e segundo a versão do youtuber, a empresa pediu que os jovens esperassem e, depois de falar com a polícia, foram colocados em um avião de outra companhia aérea. O nova-iorquino foi atualizando sua situação no Twitter:

Ainda estamos presos no aeroporto e a Delta não nos deu nenhuma informação. Continuam falando para esperarmos. Por favor, divulguem #BoycottDelta

ATUALIZAÇÃO: A Delta acaba de trazer a polícia para falar conosco

ATUALIZAÇÃO: Estamos passando pelo controle de segurança DE NOVO neste momento

TUALIZAÇÃO: Agora estamos em outro voo, e uma companhia aérea diferente, com destino a Nova York depois de sermos revistados por 30 minutos. Pousaremos em NYT às 17:50

Obrigado a todos pelo apoio!! Agradeço a cada um de vocês!! Nos falamos quando aterrissarmos! Amor, beijos.

#BoycottDelta (Boicote a Delta), a hashtag utilizada por Saleh em uma de suas mensagens, tornou-se o terceiro maior trending topic mundial. Segundo as medições do Twitter, foi utilizado em mais de 219.000 mensagens em apenas sete horas.

Em nota divulgada oito horas depois de os youtubers contarem nas redes sua expulsão do avião, a companhia aérea explica que “dois passageiros foram transferidos” depois de um “tumulto na cabine que fez mais de 20 clientes expressarem seu desconforto”. O texto não dá mais detalhes sobre o episódio.

“Levamos muito a sério todas as acusações de discriminação e estamos reunindo todas as informações antes de tirar uma conclusão”, afirma a companhia na nota, ainda provisória. “Quando o avião aterrissar nesta tarde falaremos com o restante da tripulação e os passageiros”, explicam. “Faremos uma atualização quando tivermos mais informações”.