EL PAÍS vence prêmio por reportagem sobre plano de saúde popular

A repórter Talita Bedinelli recebeu Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros da Fenacor

Paciente é atendida por médicos do SUS no Paraná.
Paciente é atendida por médicos do SUS no Paraná. Everson Bressan / SMCS

Mais informações

A reportagem "Proposta de plano de saúde popular cria polêmica entre defensores do SUS", da repórter Talita Bedinelli, ganhou o primeiro lugar na categoria webjornalismo do Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros. A premiação é uma iniciativa da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor) e tem o apoio institucional da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) e da Escola Nacional de Seguros.

Concorreram 491 trabalhos, inscritos em seis categorias: Mídia Impressa, Televisão, Rádio, Webjornalismo, Imprensa Especializada do Mercado de Seguros e Prêmio Especial – Corretor de Seguros. Eles passaram por duas etapas de avaliação. Na primeira, a Comissão de Seleção analisou os trabalhos inscritos e indicou os dez melhores de cada categoria. Em seguida, a Comissão de Julgamento, composta por jornalistas, dirigentes de entidades do mercado e executivos do setor, elegeu três vencedores de cada uma das áreas. Os ganhadores receberam um total de 270.000 reais em prêmios.

A reportagem do EL PAÍS, publicada em 2 de agosto de 2016, versava sobre a proposta de criação de um plano de saúde popular, feita pelo atual ministro da Saúde, Ricardo Barros, com o objetivo de desafogar o Sistema Único de Saúde (SUS). O trabalho mostrou que entidades de defesa do SUS ameaçavam ir à Justiça para barrar os planos, que terão preços mais baixos em troca de uma menor cobertura. As empresas que comercializam os convênios, por sua vez, defendiam a ideia, pois dizem que o modelo atual se tornou caro e, em um momento de crise, o número de usuários tem diminuído.

Mais informações