Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Assédio virtual de Marion Cotillard, vítima colateral do divórcio de ‘Brangelina’

Leitura machista feita nas redes é que a culpa pela ruptura é dela ou de outras mulheres

Assédio virtual de Marion Cotillard, vítima colateral do divórcio de ‘Brangelina’

O anúncio do divórcio entre Angelina Jolie e Brad Pitt já gerou mais de 2,5 milhões de menções no Twitter. Todo mundo tinha algo a dizer sobre isso, como se conhecessem os dois pessoalmente. Entre as especulações infundadas sobre as causas da ruptura alguns apontaram para uma hipotética infidelidade dele com a atriz francesa Marion Cotillard. As hordas de usuários não demoraram para começar uma campanha de assédio virtual nos perfis dela nas redes sociais, especialmente no Instagram.

“Está arrasada, não é verdade”, disse um representante de Cotillard, que negou os rumores sobre essa suposta infidelidade durante uma filmagem. “Essas alegações falsas a quebraram completamente”, insistiu depois de lembrar que a francesa tem um companheiro com quem tem um filho e está esperando outro.

As redes não se importaram, já tinham dado seu veredicto e a campanha de assédio já tinha começado no Instagram, embora também havia quem a defendia. Os usuários foram até as fotografias publicadas por ela até sete semanas atrás para insultá-la através dos comentários. Fizeram o mesmo em sua conta oficial de Facebook, embora não seja usada desde 2008.

Esse tipo de ataque em massa com viés machista pode chegar a destruir a vida da vítima, como aconteceu com a jovem italiana que cometeu suicídio na semana passada. Mas voltando ao caso desses famosos, na feira de especulações sobre o motivo da separação de Jolie e Pitt, a maioria dos rumores apontou sempre para um lado: as mulheres.

The Atlantic fez o exercício de analisar várias notícias publicadas sobre o assunto. Diziam que Jolie bebe vinho diariamente, que quase não come, que fuma muito, que tinha deixado Pitt aterrorizado por seus problemas de saúde, que era muito ciumenta, etc. Além disso, se era preciso procurar causas externas, todas tinham a ver com o perfil sedutor de várias mulheres (Cotillard, Lizzy Caplan, Gwyneth Paltrow). Como se, caso tivesse ocorrido uma infidelidade, Pitt tivesse sido uma vítima, um sujeito passivo, também reflete Mic.

Depois de se conhecer a notícia na terça-feira, muitas das reações nas redes imaginaram a antiga namorada de Pitt, Jennifer Aniston, celebrando o momento como uma doce vingança. Aliás, houve quem a apontou também como possível culpada como vingança contra Jolie pela suposta infidelidade que há 12 anos teria sido o início de seu relacionamento com Pitt. Em meio à avalanche de tuítes nesse sentido, houve quem considerou necessário esclarecer alguns conceitos:

Todos falam de “karma” e ficaram juntos por 12 anos. Senhores, Jennifer já superou, vocês também deveriam fazer o mesmo.

MAIS INFORMAÇÕES