VIOLÊNCIA RACIAL

Polícia mata nos Estados Unidos um menino negro que carregava uma arma de brinquedo

Tyree King, de 13 anos, morreu ao puxar uma arma de brinquedo enquanto fugia de policiais em Ohio

A chefe de polícia Kim Jacobs mostra uma fotografia do tipo de arma de brinquedo.FRED SQUILLANTE

A repetição de mortes de negros desarmados nas mãos da polícia provocou, nos últimos dois anos, inúmeros protestos nos EUA. Nos últimos meses, depois de dois ataques mortais de pessoas negras contra policiais, o debate também se deslocou para as ameaças enfrentadas pelos agentes.

MAIS INFORMAÇÕES

Até agora este ano, 681 pessoas foram mortas por tiros da polícia, de acordo com uma contagem do The Washington Post. Destes, 39 estavam desarmados e 26 tinham armas de brinquedo.

As autoridades de Columbus estão investigando o incidente. A chefe da polícia local, Kim Jacobs, defendeu na quinta-feira que os agentes acreditavam que King tinha uma arma real. “Nossos oficiais carregam uma arma que parece quase idêntica a esta”, afirmou numa conferência de imprensa. “Acontece que não é uma arma de fogo, mas, como podem ver, parece ser uma arma que pode matar”, disse enquanto mostrava em um papel uma réplica da arma do menino.

A origem do incidente, do qual por enquanto não há imagens, foi uma ligação para a polícia, por volta das 20h da quarta-feira, denunciando um assalto à mão armada por várias pessoas. Ao chegar ao local, a polícia viu três homens, cuja descrição combinava com a dos suspeitos envolvidos no roubo.

O lugar onde Tyree King morreu em Columbus, Ohio.
O lugar onde Tyree King morreu em Columbus, Ohio.PAUL VERNON (AFP)

Quando viram os policiais, dois deles, incluindo King, saíram correndo. A polícia os perseguiu até um beco. Ali, de acordo com a versão da polícia, os oficiais “tentaram levá-los em custódia quando um deles puxou uma arma da cintura”. Em seguida, “um dos policiais disparou e impactou várias vezes o suspeito”. King foi levado para um hospital, onde morreu.

A polícia interrogou outro suspeito, que mais tarde foi liberado à espera de uma investigação mais profunda. Não se sabe se a arma de brinquedo tinha o distintivo laranja indicando que não é de fogo. A arma de brinquedo de Rice não tinha.

O policial que matou a criança é Bryan Mason, um homem branco que está há nove anos na polícia e recentemente tinha sido designado para o bairro em que aconteceu o tiroteio. Mason, que está de licença administrativa por uma semana, segundo estabelecem as normas locais, esteve envolvido em 2012 no tiroteio fatal de um homem. A polícia determinou então que ele tinha agido corretamente.

Depois de concluir sua investigação sobre a morte da criança, a polícia vai entregar as suas conclusões ao promotor e a um grande júri para determinar se existem motivos para acusar o oficial. Na maioria dos casos parecidos, os policiais não foram acusados, com base em uma interpretação ampla do direito à autodefesa. A ausência de acusações também provocou protestos e denúncias de discriminação contra a comunidade negra.

Arquivado Em: