Campeonato Inglês

Guardiola tem atacantes de sobra no Manchester City

Com a contratação de Leroy Sané, o time britânico acumula 11 jogadores no ataque

Leroy Sané (dir.) assina contrato com o City ao lado de Txiki Begiristain.
Leroy Sané (dir.) assina contrato com o City ao lado de Txiki Begiristain.mancity.com

O Manchester City anunciou oficialmente nesta terça-feira a contratação do alemão Leroy Sané, de 20 anos, que jogava no Schalke 04 e será citizen nas próximas cinco temporadas. Com essa contratação, o time Guardiola já assinou, neste início de mês, três contratos com jogadores para o ataque: Sané, Zinchenko e Nolito, que se somam à grande lista de atacantes que o técnico catalão encontrou em sua chegada ao Manchester: De Bruyne, Silva, Nasri, Navas, Sterling, Agüero, Iheanacho e Bony. No total, o treinador catalão dispõe de 11 jogadores para, em princípio, três posições no ataque, que poderiam se transformar em quatro de acordo com o esquema tático escolhido por Guardiola.

MAIS INFORMAÇÕES

O último a chegar, Sané, é uma das grandes apostas do Manchester City nos últimos meses. O time investiu 50 milhões de euros (cerca de 180 milhões de reais) no jogador alemão, enquanto Nolito não custou mais do que 18 milhões de euros (66 milhões de reais, sua cláusula de rescisão no Celta), e o jovem ucraniano Oleksandr Zinchenko, de 19 anos, rendeu dois milhões de euros (7,3 milhões de reais) para o Ufa, da Rússia.

À espera da chegada de algum outro atacante de primeiro nível mundial, Guardiola já tem um overbooking em todas as posições de ataque; Txiki Begiristain e a secretaria técnica do City serão os responsáveis por encontrar uma saída para os que não consigam um lugar na pré-temporada.

Com a hierarquia bem estabelecida de Kun Agüero na posição de atacante central, Wilfied Bony é o que tem mais probabilidades de sair, depois do fraco desempenho apesar dos mais de 30 milhões de euros pagos pelo City ao Swansea há um ano e meio. O nigeriano Kelechi Iheanacho, de 19 anos, após se destacar na última temporada (14 gols e sete assistências em 36 partidas), desponta como o substituto ideal para continuar crescendo sob a tutela do argentino, desde que não chegue outro atacante que reduza os minutos que ele tem disponíveis.

Nas laterais, as chegadas de Nolito e Sané deixam o franco-argelino Samir Nasri em uma posição delicada: entre lesões e a desconfiança de Pellegrini, na última temporada jogou apenas 13 partidas com a camisa celeste. Se Nasri saísse, Guardiola ficaria com as duas posições nas laterais duplicadas, com quatro jogadores de alto nível: Raheem Sterling e Nolito, na lateral esquerda, e Jesús Navas e Leroy Sané, na direita.

Com as três posições de ataque cobertas no esquema 4-3-3 que poderia ser usado por Guardiola, o problema é encontrar espaço para os três meio-campistas da equipe: uma das contratações dos últimos meses, o jovem Zinchenko e, provavelmente, os dois melhores jogadores do clube, David Silva e Kevin de Bruyne. Se os dois jogassem na lateral em um 4-3-3, todos os laterais ficariam de fora. Mesmo que Guardiola decidisse utilizar um esquema mais próximo ao 4-2-3-1, teria de abrir mão de um dos dois. Outra opção é atrasar a posição de alguns deles (o mais adequado para isso é Silva), mas a contratação de Ilkay Gundogan, um meio-campista criativo, parece afastar essa ideia.

O alemão de origem turca, que foi comprado do Borussia Dortmund por pouco menos de 30 milhões de euros, chega para renovar um meio-campo sem brilho, onde permanece a espinha dorsal dos últimos anos: Toure, Fernando e Fernandinho, além de um jogador de rotação, como Fabian Delph.

Na defesa, a única linha ainda não reforçada (embora, segundo a imprensa britânica, a contratação de John Stones, de 22 anos, que joga no Everton, está bem próxima), os problemas sofridos por Manuel Pellegrini em suas três temporadas no Etihad Stadium não parecem a caminho de uma solução. À criticada lista de zagueiros do City (Otamendi, Kompany e Mangala), só foi acrescentado o belga Denayer, que retorna após a transferência ao Galatasaray. Enquanto isso, até agora, permanecem os quatro laterais da temporada passada: Kolarov e Clichy, na esquerda, e Zabaleta e Sagna, na direita.

Arquivado Em: