Apple

As funções mais interessantes do iOS 10

Sistema operacional que chegará ao iPhone e ao iPad no segundo semestre mostra algumas melhoras

Eddy Cue, vice-presidente da Apple, apresentou as novidades do iOS 10.Andrew Burton

De maneira discreta, a Apple fez uma limpeza no WWDC, sua conferência de desenvolvedores. Nem todos os aparelhos de seu catálogo de celulares e tablets serão atualizados para o iOS 10 no segundo semestre. Os modelos que poderão ser atualizados são iPhone 5, iPhone 5C, iPhone 5S, iPhone SE, iPhone 6, iPhone 6 Plus, iPhone 6S e iPhone 6S Plus. Dois iPods foram resgatados: iPod Touch (5ª geração) e iPod Touch (6ª geração). Os tablets que ficarão em dia são iPad (2ª geração), iPad (3ª geração), iPad (4ª geração), iPad Air, iPad Air 2, iPad Mini, iPad Mini 2, iPad Mini 3, iPad Mini 4, iPad Pro (9.7 polegadas) e iPad Pro (12.9 polegadas). Trata-se de uma forma de convidar a renovar o parque atual de aparelhos. No total, o iOS 10 poderá chegar a mais de 600 milhões de aparelhos.

MAIS INFORMAÇÕES

Esses aparelhos passarão por mudanças notáveis quando instalarem o novo sistema operacional, que é grátis, mas só chega no segundo semestre. Estas são as principais novidades do iOS 10.

Levantar e pronto: Bastará segurar o celular ou tablet na mão para ativar a tela e ver as notificações, graças ao sensor de movimento e aceleração.

Widgets: Um dos acertos do Android, várias informações de aplicativos estarão visíveis ao mesmo tempo na primeira tela. Não será preciso abrir uma aplicativo para ver seu conteúdo. Bastará tocar no ícone para abrir uma janela com resultados de jogos, notícias, vídeos curtos.

Siri ganha espaço: Slack, WeChat e WhatsApp estarão entre os primeiros a usar Siri, a assistente de voz, para mandar mensagens. Uber, Didi (seu equivalente chinês) e Skype também entenderão a linguagem natural e responderão. A inteligência artificial fará sugestões inteligentes com base na localização, nas horas livres da agenda e nos contatos. Em resumo, saberá se podemos tomar um café com um amigo em um local próximo a uma hora concreta.

Montagens de fotos: A galeria está cada vez mais caótica. Assim como o Google Fotos, a Apple fará álbuns ou vídeos temáticos para viagens. Uma interessante economia de tempo.

Renovação de mapas: Durante anos foi um dos pontos mais fracos da Apple. Eddy Cue garantiu que serão muito mais proativos. Incluirão dados sobre o trânsito, estimativa de chegada e paradas sugeridas. Algumas dessas funções já existem no Google e no Waze.

Apple Music: A interface é muito mais clean. Serão mantidas as abas Biblioteca, com todo o conteúdo baixado, Sugestões personalizadas, Buscas e Rádio. Uma das novidades mais interessantes é que incluem a letra das canções.

Não será preciso abrir um aplicativo para ver seu conteúdo

Apple News: A Banca já tem 60 milhões de usuários e mais de 2.000 publicações. A Apple oferece a venda de assinaturas através desse aplicativo. Vão incluir notificações para notícias de última hora. A capa será organizada por seções, à medida que o leitor mostre mais interesse por um conteúdo ou outro, aparecerão mais seções.

Apple Home: Será um aplicativo novo. Servirá para controlar os aparelhos conectados do lar, desde lâmpadas a termostatos e os diferentes complementos que vão saindo no mercado. Nasce com vocação de se tornar o centro de controle de domótica da Apple.

O telefone: Não se esqueça de que, além de tudo, o iPhone também é um telefone. O correio de voz ganhou transcrição de sons em texto. Quer dizer, as mensagens poderão ser lidas. A Apple vai incluir uma lista de números que podem ser publicidade comercial, o popular spam telefônico. Quando houver chamada de um número desconhecido, indicará se é suspeito de gerar publicidade não desejada. Tim Cook indicou que esse é um problema recorrente em países como a China.

Arquivado Em: