Corrida presidencial domina último jantar de Obama com correspondentes

Presidente zomba de seu futuro e de todos os candidatos à sucessão, especialmente Trump

Obama no jantar com correspondentes, no sábado.YURI GRIPAS REUTERS

Em seu discurso depois do jantar – o evento social mais importante do ano em Washington - , Obama fez chacota com os cinco aspirantes à Casa Branca, mas as brincadeiras sobre Trump foram as mais ácidas. O presidente lamentou que o magnata nova-iorquino não tenha comparecido ao jantar. “Nos divertimos tanto da última vez”, disse sobre a presença de Trump em 2011, quando Obama zombou dele.

Obama se perguntou por que Trump não compareceu este ano. “A sala está cheia de jornalistas, celebridades e câmeras, e ele disse ‘não’”, afirmou. “Será que o jantar é brega demais para The Donald? O que será que ele está fazendo em vez disso? Comendo um Trump Steak? Tuitando insultos para Angela Merkel?”.

MAIS INFORMAÇÕES

Em seguida, ele ironizou aqueles que questionam a falta de conhecimento de Trump sobre política externa. “Ele passou anos conhecendo líderes de todo o mundo: a miss Suécia, a miss Argentina, a miss Azerbaijão”, disse, referindo-se à participação do magnata na empresa que gerencia o concurso Miss Universo. E acusou a mídia de dar demasiada cobertura a Trump: disse que, ao apresentar sua candidatura em junho, o empresário só queria promover sua rede de hotéis, mas que agora se diz que ele pode se tornar o candidato republicano em julho.

Obama também brincou sobre o incômodo, em círculos republicanos, do fato de Trump e do senador Ted Cruz, ambos com um discurso insurgente, sejam os dois candidatos com mais chances de serem nomeados. No jantar, o presidente afirmou que quando os presentes tinham que escolher entre o prato de peixe ou de carne, “muitos escreveram Paul Ryan”, em alusão ao presidente da Câmara dos Representantes, que descartou concorrer à Presidência mas que é bem visto pelo establishment.

Obama zombou de um comentário recente de Cruz no qual nomeou erroneamente uma cesta de basquete. “Claro, o estrangeiro sou eu”, disse, em referência à campanha que questionava se Obama teria realmente nascido nos Estados Unidos, o que o impediria de ser presidente, e que em 2011 o obrigou a divulgar sua certidão de nascimento.

O único candidato que compareceu ao jantar foi o democrata Bernie Sanders, de 74 anos, que mobilizou o voto jovem. Obama brincou ao chamá-lo de “nova cara” do partido e ao perguntar se sua filha Malia, que faz 18 anos em junho, poderia ser uma seguidora do senador. Na mesma linha, o presidente disse que a tentativa de Hillary Clinton, de 68 anos, de apelar para o voto jovem equivale à de um parente mais velho que acaba de se inscrever no Facebook.

Vídeo com Biden e Boehner

Após as piadas eleitorais, chegou o momento de seu futuro. Obama ironizou que a decisão de permanecer dois anos a mais em Washington para que sua filha mais nova termine a escola permitirá a sua mulher, Michelle, acompanhar de perto as cenouras que ela cultiva em uma horta orgânica. Nas telas da sala, foi exibida uma imagem de Michelle voando com cenouras. Em seguida, foi projetado um vídeo no qual Obama aparecia indeciso sobre a que dedicar seu tempo como ex-presidente.

O vídeo começa com Obama de cara apagada, estirado em um sofá e falando com seu vice-presidente, Joe Biden. Este mostra a ele alguns óculos de sol da marca Ray Ban – as favoritas de Biden – para passar despercebido, e ainda lhe sugere renovar sua carteira de motorista e fazer algum esporte, uma de suas paixões. Na sequência, Obama aparece fazendo telefonemas para equipes esportivas oferecendo-se como treinador e também renovando sua carteira, onde lhe pedem sua certidão de nascimento. “É verdadeira”, diz ele, com um sorriso.

O vídeo culmina com Obama junto a John Boehner, que em setembro deixou o posto de presidente da Câmara dos Representantes. Obama, que mantinha uma relação distante com Boehner, pede conselhos a ele. Este fala das vantagens de estar aposentado: poder fazer mais esportes, fumar, vestir-se com roupas mais cômodas ou ir comer no McDonald’s às 11h. Após as recomendações, os dois aparecem andando felizes com óculos escuros e uma animada música de fundo.

Terminado o vídeo, Obama fez um apelo para que os convidados do jantar aceitem seus pedidos de amizade na rede de contatos profissionais LinkedIn, elogiou o papel da imprensa e disse duas palavras finais: Obama out (Obama fora). Como um rapper, atirou o microfone no chão e deixou o palanque.

Arquivado Em: