verne

‘Todos podemos ser Frida Kahlo’ retratados por uma fotógrafa brasileira

Camila Fontenele criou uma série com homens, mulheres e crianças na pele da pintora mexicana

Fotografia pertencente à série ‘Todos Podem ser Frida’.
Fotografia pertencente à série ‘Todos Podem ser Frida’.Camila Fontenele Miranda

Em 2012, a fotógrafa brasileira Camila Fontenele Miranda iniciou um projeto inspirado na pintora mexicana Frida Kahlo e o chamou de Todos Podem Ser Frida. “Conheci seu trabalho na universidade e fiquei apaixonada pelas cores e por sua vida. Assim, decidi criar algo muito pessoal e poético, um trabalho que não fosse puramente estético”, explica a artista de 25 anos ao EL PAÍS via correio eletrônico.

O resultado é uma série fotográfica que mostra homens, mulheres e crianças caracterizados como a pintora mexicana. Fisicamente, a obra foi exposta apenas no Brasil e na Itália, mas graças às redes sociais ela já deu a volta ao mundo. No Facebook, a série fotográfica tem mais de 8.000 seguidores.

O projeto está dividido em duas etapas. A primeira é composta por cinco sessões de fotos que representam fragmentos da vida de Frida: Frida por Inteiro, O Amor de Frida, As Cores de Frida, A Dor de Frida e O Aborto de Frida. “Nessa etapa, trabalhei com homens caracterizados como Frida. Ela costumava usar roupas de homem e se fala muito de sua bissexualidade. Para mim, foi uma mulher valente que teve a coragem de viver intensamente. Nunca teve medo de ser mais, de ser o outro. Por isso decidi abordar a questão de gênero, porque os homens também podem ser poéticos e não há razão para que sejam malvistos pela sociedade se decidem usar flores ou cores”, explica.

A seguir, publicamos algumas das fotografias, com permissão da autora.

Frida por inteiro

O Amor de Frida

As Cores de Frida

A Dor de Frida

O Aborto de Frida

A segunda etapa de Todos Podem Ser Frida é o que ela chama de uma experiência social por meio de uma performance artística. Começa com a instalação de um pequeno estúdio em mostras ou eventos culturais e o convite para que as pessoas se caracterizem como Frida e sejam fotografadas. “Para mim, a magia ocorre antes da foto, quando a pessoa experimenta um processo de autoconhecimento. Sempre digo que o projeto se chama Todos Podemos ser Frida, mas minha intenção é fazer com que as pessoas se sintam fortes o suficiente para ser o que queiram. Que sejam empáticos e não tenham medo de conhecer o outro”, assinala.

Para Fontenele, Frida Kahlo é uma fonte de inspiração: “A cores em sua roupa, suas pinturas e até a enorme dor que carregava com ela me dão muita esperança. Os artistas que não separam sua vida do trabalho sempre me atraíram, porque eu faço o mesmo”.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete