Odebrecht e Queiroz Galvão abriram contas com a Moussak

Grupo Petrópolis e banco Schahin também movimentaram offshores com o escritório panampenho, segundo o Panama Papers

Sede da Odebrecht, no Rio.
Sede da Odebrecht, no Rio.PAULO WHITAKER (REUTERS)

A investigação internacional do Panama Papers, conduzida no Brasil pelo portal UOL, jornal O Estado de S. Paulo e a Rede TV!, mostra que grandes empresas brasileiras transitam entre os paraísos fiscais abertos pela empresa Mossak Fonseca. A Odebrecht é uma delas, cujos movimentos foram feitos por meio de um funcionário, Luiz Eduardo Rocha Soares, e um parceiro, Olívio Rodrigues Júnior. Este último era dono da Graco Assessoria, alvo da Lava Jato durante a operação Acarajé, que determinou prisões de executivos ligados à empreiteira.

Três offshores – Davos Holding Group SA, Crystal Research Services Pesquisa, e Salmet Trade Corp – foram operadoras por Soares e Rodrigues Júnior. A Davos, segundo informações levantadas pelos veículos brasileiros, funcionou entre 2006 e 2012. A Lava Jato descobriu que Soares esteve 23 vezes no Panamá, e outras dez vezes no Uruguai, um dos países citados pela Panama Papers como reduto de empresas offshores. Por meio da Davos foram abertas contas na Suíça. Soares está foragido.

A família Queiroz Galvão, donos das empresas Queiroz Galvão e Galvão Engenharia, também são donas de empresas em paraísos fiscais, criadas com suporte da Mossack Fonseca. A empresa é apontada com uma das companhias que pagaram propinas a políticos do PP e do PMDB. Duas dessas offshores foram criadas em 2014.

Contas de Walter Faria, presidente do grupo Petrópolis, dono da cervejaria Itaipava, também foram detectadas nesta investigação. Faria é acusado de receber propina no exterior pela investigação da Lava Jato. Uma dessas offshores, a Headliner, já havia sido identificada pela força tarefa.

Integrantes da família Schahin, antigos donos do banco Schahin, vendido ao banco BMG, e executivos da construtora Mendes Junior, também têm registros de contas contratadas via Mussack Fonseca nos anos 90.

Regras

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: