Verne

O britânico que achou uma boa ideia tirar “selfie” com o sequestrador da EgyptAir

Homem diz que posou ao lado do egípcio para tentar verificar se o cinto explosivo era falso

O autor do sequestro, Seif Edin Mustafa (à esq.), e o passageiro Ben Innes (de camisa azul).
O autor do sequestro, Seif Edin Mustafa (à esq.), e o passageiro Ben Innes (de camisa azul).

O britânico Ben Innes, 26 anos, era um dos três passageiros e quatro tripulantes retidos até o fim do sequestro do avião da EgyptAir, na manhã da terça-feira Ele, então, teve uma ideia para tentar verificar se a bomba que o sequestrador, Seif Edin Mustafa, era verdadeira ou não, segundo contou ao jornal The Sun. “Raciocinei que, se a bomba fosse de verdade, eu de qualquer maneira não tinha nada a perder, então me arrisquei para vê-la mais de perto. Pedi a um dos tripulantes que se fizesse de intérprete e perguntei se eu podia fazer um selfie com ele. Ele aceitou, encolhendo os ombros, e então me coloquei do lado dele e sorri para a câmara enquanto uma comissária de bordo fazia a foto. Tem que ser o melhor selfie da história”, disse.

A foto, segundo disse à publicação, o deixou mais calmo: ao vê-la em detalhes no celular e embora fosse “difícil ter certeza”, Innes concluiu que “era mais provável que fosse falsa”. Voltou ao seu assento e começou a escrever para sua mãe, que lhe disse, tarde demais, que ele não devia “chamar a atenção”.

Não satisfeito, porém, Ben enviou a imagem aos seus amigos, como se pode ver nessa conversa pelo Whatsapp divulgada pelo jornal The Daily Mail. No texto, ele lhes dizia que “o seu amigo não está se fazendo de bobo” e “liguem a televisão”.

Todos os passageiros foram liberados e a polícia acabou prendendo o sequestrador, que alegou motivos pessoais para a ação (ele pedia apenas para ver a ex-mulher, que vivia no Chipre, onde mandou que a aeronave pousasse). Sorridente, Seif Edin Mustafa deixou a aeronave com as mãos para cima e sem ferir ninguém, tornando um episódio bastante sério em motivo de piada nas redes sociais. No Egito, a hashtag "gostaria de estar com eles", em menção aos últimos reféns mantidos no avião pelo sequestrador, virou um trending topic

Como Ben Innes imaginava, o cinto de explosivos era de fato falso. O jornal The Guardian destaca que seu gesto foi criticado pelos especialistas, embora seus amigos afirmem que é coisa bem típica do jovem britânico.

A mãe de Innes também criticou a ideia do filho. Além disso, ao falar com o The Telegraph, aproveitou para lembrar ao filho que isso não é um selfie: “Dá para ver muito bem que não é o Bem quem está fazendo a foto. Ele aparece nela, mas não é ele que está fazendo a imagem”. E ela tem toda a razão.