Menino de 4 anos atira na mãe, defensora do porte de armas, nos Estados Unidos

Jamie Gilt, de 31 anos, e encontra em estado grave por causa do disparo

Miami -
Jamie Gilt com uma espingarda e o filho de quatro anos em foto do Facebook.
Jamie Gilt com uma espingarda e o filho de quatro anos em foto do Facebook.
Mais informações
Mostre sua arma e ganhe um desconto no churrasco em um restaurante do Texas
As lágrimas de Obama ao defender o controle de armas
Obama prevê medidas unilaterais de controle de arma
‘Bancada da bala’ desafia consenso sobre risco de liberar porte de arma
Projeto que acaba com Estatuto do Desarmamento se baseia em erros

Um menino de quatro anos de idade feriu gravemente a sua mãe, defensora do porte de armas, ao disparar por engano em suas costas, segundo autoridades do Estado da Flórida, nos Estados Unidos. A mãe, Jamie Gilt, de 31 anos, dirigia em uma rodovia com o filho no banco de trás quando recebeu o tiro, que atravessou o banco do motorista. Devido ao seu estado de saúde, e hospitalizada, ela ainda não pôde falar com a polícia. No dia anterior, justamente, Jamie havia elogiado publicamente no Facebook a capacidade de seu filho de atirar.

“Nossa investigação revelou que a arma pertencia à vítima e que o menino a pegou sem conhecimento dela”, afirmou, em nota, o departamento do xerife do condado de Putnam. Apesar disso, o departamento poderia denunciar a mãe dependendo de qual for a conclusão a respeito de como foi que a criança, que neste momento se encontra com familiares, teve acesso à arma. “A legislação da Flórida considera crime que uma pessoa guarde ou porte uma arma de fogo carregada de uma forma que possa ser pega por uma criança”, lembra a nota. A decisão será tomada depois que a mulher for ouvida.

O perfil de Gilt sugere, aparentemente, que se trata de uma pessoa apaixonadamente defensora do direito ao porte de armas, com que aparece em algumas fotografias. Na última segunda-feira, ela concluiu uma discussão sobre o direito de portar armas com o argumento de que “até o meu filho de quatro anos melhorou com o calibre 22”.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS