Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Geleira da Patagônia Argentina se rompe diante de 2.000 pessoas

Fenômeno acontece a cada quatro ou cinco anos, quando a geleira e a montanha se chocam

Rompimento da geleira Perito Moreno.

Finalmente, e diante do olhar atento e ansioso de cerca de 2.000 pessoas, a geleira Perito Moreno se rompeu. O fenômeno, presenciado por milhares de turistas cada vez que acontece, ocorreu às10h56 nesta manhã de quinta-feira na Patagônia Argentina (mesmo horário em Brasília).

Esse é um dos fenômenos mais famosos e únicos do mundo, já que é a única geleira da Argentina que pode ser acessada por veículos, o que facilita a visitação pelo público. As passarelas e elevadores instalados na montanha permitem a aproximação da geleira com segurança, mesmo para pessoas idosas ou deficientes.

A grande ruptura, como a ocorrida nesta quinta-feira, só acontece quando a geleira e a montanha se unem, de modo que a água que corre normalmente acaba sendo represada. Aos poucos, a água exerce pressão por baixo da geleira, até que consegue destruir definitivamente a barragem e a ponte de gelo desaba. Depois disso, o Brazo Rico volta a se unir com o Canal de los Témpanos, e um novo ciclo imprevisível de quatro ou cinco anos é iniciado, até a nova ruptura colossal. A última vez que isso ocorreu foi em 2012, mas de madrugada, sem que ninguém pudesse presenciar o fenômeno. Desta vez, 2.000 pessoas viram a ruptura ao vivo e milhares pela TV. Todas as estações argentinas direcionaram suas câmeras para a geleira.

MAIS INFORMAÇÕES