Oscar 2016

‘Cinquenta Tons de Cinza’, o ganhador do Framboesa de Ouro de pior filme do ano

Adaptação do livro ganha prêmio de pior roteiro e piores protagonistas no prêmio que é o 'anti-Oscar'

Dakota Johnson e Jamie Dornan, na estreia de 'Cinquenta Tons de Cinza', em Londres.
Dakota Johnson e Jamie Dornan, na estreia de 'Cinquenta Tons de Cinza', em Londres.j. s. (AP)

MAIS INFORMAÇÕES

Hollywood decretou: “Cinquenta Tons de Cinza” é o pior do ano no cinema. O filme, baseado no livro de mesmo título, arrecadou milhões – para ser mais exato, perto de R$ 2 bilhões – nas bilheterias. Mas no prêmio Framboesa de Ouro, dedicado a exaltar o pior do ano, o filme “ganhou” em quase todas as categorias. Pior atriz para Dakota Johnson, pior ator para Jamie Dornan, pior dupla na tela para o par formado pelos atores nesta obra de tons sadomasoquistas, pior roteiro. E, acima de tudo, pior filme do ano – prêmio desonroso que “Cinquenta Tons de Cinza” dividiu com a volta do “Quarteto Fantástico”, filme que levou também os prêmios de pior refilmagem e pior diretor (Josh Trank).

O prêmio, que existe há 36 anos, é uma paródia do Oscar. Enquanto o último identifica o melhor de Hollywood, o Framboesa de Ouro se encarrega de mostrar o que há de pior. Ninguém está a salvo dele. Que o diga Eddie Redmayne. No ano passado levou o Oscar de melhor ator por sua atuação em “A Teoria de Tudo” e este ano está novamente entre os que sonham com a estatueta, na mesma categoria, por seu papel em “A Garota Dinamarquesa”. Só que o britânico teve este ano a duvidosa honra de ficar com o Framboesa de Ouro de pior ator coadjuvante por seu papel em “O Destino de Júpiter”. Kaley Cuoco, a Penny de “The Big Bang Theory”, levou o Framboesa de Ouro de pior atriz coadjuvante por seus sofríveis trabalhos no cinema em “Padrinhos S.A.” e “Alvin e os Esquilos: na Estrada”.

Nem tudo foi maldade nesta cerimônia realizada num dos antigos palácios do cinema no coração de Los Angeles. O comitê formado por membros do setor de cinema e gente comum dedicou seu novo prêmio, o de redenção, a Sylvester Stallone. Candidato a melhor ator coadjuvante por sua atuação em “Creed”, Stallone ganhou um prêmio que pretende apagar os erros do passado do ator, diretor e roteirista que mais prêmios levou na história do Framboesa de Ouro. Na mesma categoria competiram Elizabeth Banks, Will Smith e M. Night Shyamalan, este último considerado eternamente entre os piores, mas que segundo o Framboesa de Ouro deste ano não foi tão mal com o filme “A Visita”. O Framboesa de Ouro não tem valor material. É uma framboesa pintada de dourado sobre uma lata de filme também dourada. O prêmio, também chamado de 'anti-Oscar', teve sua cerimônia realizada, como de hábito, sem a presença dos indicados, que raramente vão buscar seus troféus.

Arquivado Em: