Emma Coronel | Esposa de 'El Chapo'

“Não me consta que meu marido trafique drogas”

Esposa de 'El Chapo' critica as condições a que seu marido está submetido na prisão Em entrevista a uma TV, Emma Coronel nega que ele seja um narcotraficante

Emma Coronel, esposa de ‘El Chapo’, durante a entrevista. FOTO: TELEMUNDO / VÍDEO: FRAGMENTO DE LA ENTREVISTA

MAIS INFORMAÇÕES

Emma Coronel, a esposa do camponês pobre que construiu para sua mãe um palacete fortificado na agreste serra de Sinaloa, o chefe da maior organização criminal do mundo, que controla 60% do mercado de heroína nos EUA e que escapou duas vezes da prisão graças a subornos, como aqueles personagens dos filmes de mafiosos, não acredita que seu marido, Joaquín Guzmán Loera, conhecido como El Chapo, seja um narcotraficante.

Foi como a dedicada companheira de um homem amável e encantado por suas duas filhas gêmeas que Coronel, de 27 anos, apresentou-se neste domingo numa entrevista concedida à emissora Telemundo. “Não me consta que ele trafique drogas. Sou apaixonada por ele”, disse, com a cabeça inclinada e os olhos marejados, a terceira esposa de El Chapo, que decidiu vir a público para defender seu marido depois de ele ser preso pela terceira vez, por causa justamente de um flerte dele com outra mulher, Kate del Castillo, atriz mexicana de telenovelas que intermediava o sonho megalomaníaco do chefão de gravar um filme sobre a sua vida – o que, incidentalmente, permitiu que as autoridades mexicanas localizassem o paradeiro do foragido chefe do cartel de Sinaloa.

"Não o deixam dormir, não tem privacidade nem para ir ao banheiro"

Em um resumo antecipado do programa especial transmitido na versão norte-americana do canal hispânico, Coronel anunciou, em tom melodramático, que temia pela vida do seu marido na prisão. Durante a entrevista completa, ela insistiu na dureza das condições penitenciárias de El Chapo. “Não o deixam dormir, não tem privacidade nem para ir ao banheiro”, disse. “Há cães custodiando-o.” Depois da cinematográfica fuga dele em meados de 2015, o Governo intensificou as medidas de segurança sobre Guzmán, numa tentativa de evitar a todo custo que ele escape outra vez, o que representaria um golpe nefasto para a já abalada credibilidade da segurança pública mexicana.

O preso 3.870 da penitenciária de segurança máxima de El Altiplano – a mesma de onde fugiu há sete meses, pelo ralo do chuveiro – é transferido de cela periodicamente, sempre algemado e acompanhado por cães que reconhecem seu cheiro e provam a comida dele para evitar um envenenamento. Há pelo menos 1.000 câmeras de segurança, ativas 24 horas por dia, e cada passo do condenado é detectado por sensores térmicos.

O advogado de Guzmán também apareceu para denunciar que seu cliente mal consegue dormir e está sendo tratado como “um zumbi”. As acusações do entorno de El Chapo foram desmentidas pela Comissão Nacional de Segurança, segundo a qual seus direitos humanos são respeitados e todos os protocolos estão sendo cumpridos.

Emma Coronel conheceu Joaquín Guzmán Loera numa festa realizada em uma fazenda. Ela tinha 17 anos e acabava de ganhar o concurso de Miss Sinaloa. Ele, aos 51, era o senhor da maior quadrilha criminal do mundo. Enquanto ela dançava no rancho com seu então namorado, ele lhe lançou um sorriso sedutor. Pouco depois, um homem se aproximou da miss e lhe avisou que o cavalheiro gostaria de dançar com ela. “Claro, disse eu. Porque nas fazendas, mesmo que você tenha namorado, você precisa dançar com todo mundo que a convidar”. Assim foi o começo do namoro segundo a suposta sobrinha de Ignacio Coronel, morto em 2010 quando era um dos lugares-tenentes do seu atual marido. “Não somos parentes”, garantiu ela na entrevista.

"É um homem bom. Não é violento, nem grosseiro, nunca o vi dizer um palavrão"

El Chapo, segundo a esposa, “é um homem bom. Não é violento, nem grosseiro, nunca o vi dizer um palavrão. Suas filhas o adoram e perguntam constantemente por ele”. Os elogios da mulher confirmam o perfil geralmente descrito sobre o traficante: uma personalidade fria e analítica, combinada com um grande carisma social e com um fraco pelas mulheres e por sua família. Se a sua última detenção foi causada pela forte atração que sentia pela "Rainha do Sul" – apelido dado a Del Castillo por causa de uma novela estrelada por ela –, na vez anterior sua perdição haviam sido sua mulher e suas filhas. Após passar 13 anos escondido depois de fugir da prisão, El Chapo resolveu se encontrar com a família num apartamento no balneário de Mazatlan. A Marinha mexicana, com apoio da inteligência norte-americana, estava à sua espera.

A jovem esposa do narcotraficante afirmou na entrevista que acompanhará o marido aonde quer que ele vá. A extradição de El Chapo para os EUA parece estar mais próxima do que nunca. Rompendo o tradicional nacionalismo do partido governista PRI – que durante anos evitou transferir prisioneiros ao vizinho do norte –, o presidente Enrique Peña Nieto anunciou que seu Governo está acelerando os trâmites entregar o traficante mais procurado dos EUA. A Justiça norte-americana o reivindica, mas o chefe do cartel de Sinaloa ainda poderia cumprir mais um ano de pena em seu país natal.