BRASIL

Conselhão: baixas por Lava Jato e representante das domésticas

Entre nomes que deixaram o grupo estão Marcelo Odebrecht e José Carlos Bumlai, presos pela PF

Dilma na reunião do Conselhão.
Dilma na reunião do Conselhão.Andressa Anholete / AFP

Mais informações

Em meio aos desdobramentos da Operação Lava Jato, uma das grandes mudanças do encontro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, criado em 2003 no Governo Lula e reativado nesta quinta-feira em Brasília após hiato desde 2014, foi a exclusão de diretores das empreiteiras, mas a presença do sindicato do setor. Entre os nomes que deixaram o grupo, estão os empresários Marcelo Odebrecht e José Carlos Bumlai, presos pela Polícia Federal no âmbito da Lava Jato.

Segundo o Governo Dilma, 70% foi a taxa de renovação dos integrantes do Conselhão. Inicialmente com 90, o órgão tem mais dois membros da sociedade civil: a ex-jogadora de vôlei Ana Moser, presidente da ONG Atletas pelo Brasil, e o primeiro professor universitário indígena do país, Eliel Benites, guarani-kaiowá. Serão 27 integrantes da sociedade civil, 20 representantes dos trabalhadores e 45 empresários.

Pela primeira vez, o Conselhão contou com a participação de uma representante das empregadas domésticas, a presidenta da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad), Creuza Oliveira. Também foi convidado a participar da reunião o ator Wagner Moura, que atraiu holofotes recentemente interpretando o traficante Pablo Escobar, na série Narcos. O ator, no entanto, não compareceu ao Planalto nesta quinta, pois estava gravando a segunda temporada da série.

Representantes empresariais

Além deles, estão entre os conselheiros Robson Andrade (CNI), Cláudia Sender (TAM), Frederido Fleury (Embraer), Miguel Nicolelis (neurocientista), Roberto Setúbal (Itaú), Viviane Senna (Instituto Ayrton Senna), Luiz Carlos Trabuco (Bradesco) e Abílio Diniz (BRF).

Entre os integrantes que já participaram do Conselhão, continuaram no grupo nomes de peso do setor empresarial: os presidentes da AmBev, Jorge Paulo Lemann, do grupo Votorantim, José Erminio de Moraes, da Embraer, Frederico Curado, da CSN, Benjamin Steinbruch, da Magazine Luia, Luíza Trajano, e da Vale, Murilo Ferreira.

Mais informações