Real Madrid

Zidane, uma lenda sem experiência como treinador

Francês assume o Real Madrid com um ano e meio de experiência no time B

Zidane dá instruções na final da Champions de 2014.
Zidane dá instruções na final da Champions de 2014.K. P. / REUTERS

Mais informações

Uma equipe principal que agora dirigirá apesar de sua escassa experiência, algo do que o próprio Zidane é mais que consciente. "No ano passado me faltava algo e sei que me falta ainda. Falta muito para chegar à equipe principal. Nunca um treinador está preparado. Estou fazendo as coisas pouco a pouco e não tenho pressa", disse o francês em novembro passado ao ser perguntado sobre sua possível ascensão ao banco do Real. Uma notícia que, experiência à parte, Zidane leva esperando desde o início da temporada. "Aceitaria substituir Ancelotti. Me considero um profissional e não recuso o desafio", reconheceu. As contraditórias palavras de Zidane contrastam com a segurança de um Florentino que em 2013 já lhe abria a porta do banco. "Poderia ser o treinador. Tem o título e é madridista". O desejo do presidente foi ganhando peso com o passar do tempo até a confissão que o máximo dirigente fez há poucas semanas. "Será um grande treinador e será treinador do Real Madrid. Estou seguro de que ele quer, aprendeu a passos largos. Será treinador", assegurou Florentino.

Inicio complicado no time B

Zidane é um dos candidatos ao cargo desde a saída de Carlo Ancelotti, que aconteceu durante sua primeira temporada à frente do Real Madrid Castilla. Uma trajetória no time B que no começo foi marcada pela polêmica e os maus resultados. A primeira vitória da equipe chegou apenas na quarta rodada, após as três derrotas iniciais que abriram a carreira de Zidane como treinador. No meio da irregularidade de resultados de um time que não arrancava, o francês foi sancionado no final de outubro de 2014 pela Federação Espanhola a três meses de suspensão ao treinar sem a carteira necessária na Segunda Divisão B. Zidane, que obteve o título na França, tinha então o nível 2 quando a categoria exigia o nível 3, título que Zidane finalmente obteve em maio do ano passado.

Antes disso, o Tribunal já havia anulado a suspensão de três meses e Zidane pôde completar sua primeira temporada no Castilla. O fez sem muito sucesso e sem conseguir o objetivo inicial. O filial, que se recuperou do baque inicial e chegou a liderar a competição, caiu de produção na reta final e terminou a temporada na sexta posição, ficando fora das vagas para os playoffs para a classificação.

O acesso era o grande objetivo também em sua segunda temporada como técnico do time B, na qual também não faltou polêmica. Desta vez em torno de seu filho, Enzo, e a decisão do técnico de nomear-lhe capitão apesar de ser sua primeira temporada na equipe.  No campo esportivo, Zidane tinha acertado uma equipe totalmente renovada e que depois da última rodada ocupava a segunda posição, quatro pontos atrás do Barakaldo, líder do grupo II da Segunda Divisão B.