Seleccione Edição
Login

Empate triplo na disputa da Espanha: conheça os candidatos

Siglas de Sánchez (PSOE), Rivera (Cidadãos) e Rajoy (PP) lideram, seguidos do Podemos

À esquerda, Rivera, com seus colaboradores; à direita, Iglesias, em sua casa.

A três semanas da décima segunda eleição geral da Espanha desde a restauração da democracia, não há vencedor claro e a reta final da campanha será decisiva, incluindo o debate desta segunda entre os candidatos promovido pelo EL PAÍS. Esta é a foto que aparece na pesquisa Metroscopia, que coloca o conservador PP (22,7%), atualmente no poder, o centro-esquerdista PSOE (22,5%) e os também centristas do Cidadãos (22,6%). Podemos está descolado do grupo de possíveis vencedores, com 17,1%. Acompanhe o debate a partir das 18h (horário de Brasília) e conheça os candidatos ao Governo — o atual premiê, Mariano Rajoy (PP), declinou do convite.

Pedro Sánchez (PSOE) -  O secretário-geral do Partido Socialista Obrero Espanhol (PSOE), Pedro Sánchez, tem como tarefa defender o lugar do histórico do partido centro-esquerdista da Espanha nestas eleições disputadas e com dois novas siglas competitivas (o Podemos e o Cidadãos) que tentarão lhe roubar os votos de centro. Com 43 anos, e há 17 anos na política, Sánchez tem a tarefa de convencer a seus potenciais votantes progressistas, que agora declaram votar no Cidadãos, que essa força política é a "direita moderna", mas "direita”.

Pablo Iglesias (PODEMOS) - Aos 37 anos, Iglesias terá que se destacar para devolver o Podemos à briga pela liderança nas eleições. Um problema para o partido esquerdista, sensação após o movimento dos Indignados, é vencer a rejeição. Um em cada três eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no partido

Albert Riviera (Cidadãos) - Riviera, aos 35 anos, é o mais novo dos concorrentes e tenta construir para o novo centro-direitista Cidadãos, que como o Podemos desafia o bipartidarismo da política espanhola, uma imagem de partido que tem estatura política suficiente para gerir o próximo governo, que terá de enfrentar o desafio da independência catalã, as terríveis consequências da crise econômica e a ameaça terrorismo jihadista

Mariano Rajoy (Partido Popular) - Aos 60, o premiê espanhol optou por não participar do debate desta segunda promovido pelo EL PAÍS. Rajoy quer administrar à sua conveniência o fato de ser candidato e governante ao mesmo tempo. O premiê quer reforçar seu perfil de líder com experiência, acostumado a tomar decisões difíceis e aos palcos internacionais, como a Cúpula do Clima em Paris.

MAIS INFORMAÇÕES