Trump acusa o Brasil de “roubar” empregos dos EUA

Candidato republicano promete recuperar postos de trabalho de China, Japão, Índia e Brasil

Taran Killam, à esquerda, Donald Trump e Darrell Hammond, à direita, na abertura do "Saturday Night Live".
Taran Killam, à esquerda, Donald Trump e Darrell Hammond, à direita, na abertura do "Saturday Night Live". AP

Donald Trump colocou o Brasil na lista de países que poderiam questionar suas relações diplomáticas com os Estados Unidos se ele chegar à presidência. O candidato republicano disse neste fim de semana que promete recuperar os postos de trabalho “roubados” por China, Japão, Índia e Brasil.

“Olhem a quantidade de desperdício, fraudes e abusos que temos, é incrível”, disse o magnata durante uma entrevista à rede de televisão CBS. Segundo Trump, ele conseguirá fazer coisas “incríveis” quando começar a “reforçar” o país com uma “economia dinâmica”.

Embora o candidato à sucessão de Barack Obama na Casa Branca já tivesse feito referência à intenção de devolver aos Estados Unidos os empregos que as grandes empresas levaram para o exterior, esta é a segunda vez que o magnata se refere ao Brasil. Em outubro, Trump já tinha colocado o Brasil na lista de países que se “aproveitam” dos EUA, ao lado do México e da China. O republicano fez da imigração ilegal — com referências xenófobas aos imigrantes — e dos empregos terceirizados dois dos pilares de sua campanha.

De acordo com Trump, favorito em todas as pesquisas até poucos dias atrás, quando foi superado por Ben Carson, resolver esses dois problemas contribuirá para que a “América volte a ser grande”, como se lê em seu slogan.

MAIS INFORMAÇÕES