Chapo Guzmán

Interpol alerta a Argentina e Chile da possível presença de Chapo Guzmán

Governos reforçam seus controles de fronteira, apesar de não verem dados concretos

El 'Chapo' Guzmán, no dia em que foi detido no México.
El 'Chapo' Guzmán, no dia em que foi detido no México.

A polícia de fronteira da Argentina e as forças de segurança do Chile estão à procura do narcotraficante mexicano Joaquín El Chapo Guzmán, que fugiu em julho de uma prisão no seu país. Um porta-voz do Governo da província do Neuquén, no limite sul da Argentina com o Chile, informou que os agentes de fronteira reforçaram o controle nas passagens internacionais da cordilheira dos Andes nessa província e na vizinha Río Negro.

Mais informações

A medida foi tomada em reação a um alerta vermelho da Interpol sobre a possível presença de Guzmán na Patagônia e sua suposta tentativa de cruzar a fronteira na direção do Chile. Um número excepcional de guardas vigiam neste momento diversos acessos fronteiriços, inclusive nos arredores da cidade turística de Bariloche, na província de Río Negro. Em julho deste ano, outro alerta da Interpol sobre a suposta aparição do narcotraficante mais procurado do México na província de La Rioja, no noroeste da Argentina, foi investigado sem resultados positivos.

Os Carabineiros do Chile e os serviços de inteligência de ambos os países também estão investigando e monitorando qualquer possível movimento suspeito. A Polícia de Investigações chilena decretou alerta vermelho em todo o território do seu país e reforçou o controle de passaportes e mercadorias na fronteira com a Argentina. O jornal La Mañana de Neuquén especula com que Guzmán poderia estar no Chile com a intenção de cruzar para o território argentino.

“Até agora não há nenhum elemento que possa concretizar a veracidade da informação (da Interpol)”, declarou o secretário de Segurança da Argentina, Sergio Berni, ao Canal 26. Fontes dessa secretaria de Estado minimizaram o alerta, decorrente de um telefonema anônimo à embaixada dos EUA em Buenos Aires. O ministro chileno do Interior, Jorge Burgos, disse: “Se isso chegar a ser verdade e se ele tentar ingressar em território nacional, a decisão a ser tomada imediatamente é capturá-lo. Esse delinquente está sob mandado internacional de captura”.