ISRAEL

Quatro palestinos são abatidos a tiros ao tentarem esfaquear israelenses

Soldado ficou ferido em um ataque em Hebron, enquanto o agressor está em estado grave

Tropas israelenses usam gás contra manifestantes em Cisjordânia.
Tropas israelenses usam gás contra manifestantes em Cisjordânia.M. M. (AP)

Quatro novos casos de esfaqueamentos ou tentativas de ataque com arma branca registrados neste sábado em Hebron (no sul da Cisjordânia) e em Jerusalém Oriental reavivaram a onda de violência em Israel e na Palestina. As forças de segurança abateram a tiros os agressores nos três primeiros incidentes e deixaram ferido o autor do quarto ataque. Um policial ficou levemente ferido e um soldado foi hospitalizado com lesões graves.

No primeiro incidente, um colono judeu que acabava de voltar de orações no Túmulo dos Patriarcas, em Hebron, disparou com sua arma contra um palestino de 18 anos que tentara atacá-lo com uma faca, segundo informou em sua conta no Twitter o porta-voz das Forças Armadas de Israel, Peter Lerner. Cerca de 200.000 palestinos vivem nessa cidade da Cisjordânia ocupada por Israel desde 1967, junto com aproximadamente 500 colonos judeus fortemente protegidos pelo Exército.

MAIS INFORMAÇÕES

Pouco depois, a polícia de fronteira abateu a tiros um palestino de 16 anos que tinha tentado esfaquear um agente no bairro de Armon Hanatsiv, em Jerusalém Oriental, a parte da cidade anexada por Israel em 1980 após tê-la conquistado na chamada Guerra dos Seis Dias. Segundo informou o porta-voz da polícia israelense, Mike Rosenberg, o agressor empunhou uma faca quando seria identificado em um posto de controle.

Em um terceiro incidente, em Hebron, já por volta do meio-dia deste sábado, uma policial de fronteira matou com um disparo uma mulher palestina que tinha tentado atacá-la com uma arma branca na entrada de um posto policial situado perto do túmulo dos Patriarcas. A agente sofreu cortes leves em uma mão, produzidos por uma faca.

À noite, na mesma região de Hebron, outro agressor palestino esfaqueou um soldado, que sofreu ferimentos graves. Outros militares abriram fogo contra o agressor, que ficou ferido. Grupos de colonos judeus na área tentaram impedir que o atacante palestino fosse retirado em uma ambulância.

Ainda na sexta-feira, um palestino tentou, sem sucesso, apunhalar dois agentes na passagem de Qalanda (Cisjordânia), entre Jerusalém e Ramallah. O agressor foi abatido.

Os distúrbios e ataques que agitaram a sexta-feira em Israel e na Palestina deixaram quatro palestino mortos e uma centena de feridos – cerca de uma dezena deles por impacto de balas. Além disso, um soldado israelense ficou ferido em um esfaqueamento em Hebron por um palestino disfarçado de jornalista. Desde o início de outubro, sete israelenses e 40 palestinos perderam a vida – 17 desses palestinos foram considerados agressores pelas forças de segurança, que abriram fogo contra eles.