Tragédia durante a Peregrinação à Meca

‘Avalanche’ de peregrinos deixa mais de 717 mortos em Meca

Tumulto e pânico ainda deixaram mais de 850 feridos em meio à celebração do ‘haj’ Mais de dois milhões de pessoas participam da peregrinação anual dos muçulmanos

Pelo menos 717 peregrinos morreram pisoteados nesta quinta-feira em Mina, nos arredores de Meca (Arábia Saudita), num incidente com a multidão que participa do haj, a grande peregrinação que envolve dois milhões de muçulmanos nesta época do ano. Teme-se que o número de mortos ainda possa subir, já que, segundo dados da Defesa Civil saudita, há em torno de 850 feridos. O acidente, apenas duas semanas depois da morte de 108 peregrinos na Grande Mesquita de Meca por causa do desabamento de um guindaste, gera dúvidas sobre a ampliação dos locais sagrados promovida pelas autoridades sauditas.

Mais informações

A Defesa Civil mobilizou 4.000 agentes para ajudar dezenas de milhares de pessoas que se encontravam na área no momento do incidente. As autoridades “começaram a dispersar a aglomeração humana, estabelecendo pontos de encontro e rotas alternativas”, informou a Defesa Civil, em sua conta do Twitter.

O grande desafio desses agentes é administrar o enorme afluxo de pessoas que durante três dias precisam fazer um percurso de várias dezenas de quilômetros para visitar vários lugares preestabelecidos, saindo da Caaba (o cubo negro que existe no centro da Grande Mesquita), passando por Mina, chegando ao monte Arafat e voltando a Mina para terminar apedrejando simbolicamente o diabo.

Muçulmanos durante a peregrinação em Meca.
Muçulmanos durante a peregrinação em Meca.AMEL PAIN (EFE)

O haj constitui um dos cinco pilares do islamismo, uma peregrinação que todo seguidor dessa religião precisa realizar ao menos uma vez na vida, se tiver condições. É uma das maiores aglomerações religiosas do mundo, como mostram as imagens difundidas pelos participantes. A Arábia Saudita, que na qualidade de guardiã desses lugares sagrados é a encarregada de fornecer vistos e controlar os fluxos humanos, mobilizou 100.000 policiais para garantir a segurança do haj neste ano.

Desde 2006 não ocorria um incidente desse tipo. Em 2004 e 1990, centenas de pessoas morreram pisoteadas entre peregrinos em pânico. O reino, que chegou a receber quatro milhões de peregrinos, reduziu desde ano passado o número de autorizações para esta temporada, devido às obras de melhoria e ampliação nas instalações do percurso. Além disso, depois do acidente de duas semanas atrás, os responsáveis pelo haj já estavam em alerta máximo, pois sabem que está em jogo seu prestígio como líderes do islamismo.

A Grande Mesquita de Meca há anos está sendo submetida a polêmicas obras que incluem a ampliação da sua superfície em 400.000 metros quadrados, para que possa acolher até 2,2 milhões de fiéis ao mesmo tempo. Daí que, nas imagens, se veja todo o recinto rodeado por gigantescos guindastes.

Tragédias mortais na Meca

2015: 453 peregrinos morrem em uma avalanche em Mina.

2006: 364 peregrinos perderam a vida em Mina durante o ritual do lançamento de pedras.

2004: 251 pessoas morreram em uma avalanche em Mina.

1997: 343 pessoas morreram e 1.500 ficaram feridos em um incêndio.

1994: 270 peregrinos morreram em uma avalanche, também durante o ritual do lançamento de pedras.

1990: 1.426 peregrinos faleceram em uma confusão ocorrida no interior dos túneis que levam aos locais sagrados.

1987: 400 pessoas morreram em uma manifestação a favor do Irã.