Papa Francisco: “O diabo castiga o México com muita fúria”

Pontífice identifica a violência do povo mexicano com uma força diabólica

O papa Francisco, nesta sexta-feira na basílica de San Pedro.
O papa Francisco, nesta sexta-feira na basílica de San Pedro.M. BRAMBATTI (EFE)

O Papa voltou a mencionar os problemas de violência do México. Nesse caso, em uma entrevista à rede Televisa, fez uma afirmação de natureza religiosa sobre as causas dos conflitos mexicanos: “Eu acredito que o diabo passou um recibo histórico ao México", disse em alusão ao forte arraigamento católico do povo desse país.

Mais informações

Há três semanas, declarações de Francisco sobre o México levantaram polêmica. O Papa disse que estava preocupado com os problemas de criminalidade que enfrenta seu país de origem, a Argentina, e que esperava que não evoluíssem para um conflito da mesma natureza do mexicano: “Tomara que estejamos a tempo de evitar a ‘mexicanização’. Estive falando com alguns bispos mexicanos e a coisa é um terror”.

O Governo mexicano respondeu por meio de seu chanceler, José Antonio Meade, afirmando que as palavras do Papa Francisco estigmatizavam o México.

Em novas declarações, na sexta-feira, o Papa considerou que a violência mexicana não pode ser atribuída simplesmente a erros do Estado: “Quem é o culpado? O Governo? Essa é a solução, a resposta, mais superficial”, disse Francisco. “O diabo castiga o México com muita fúria”, acrescentou.

Jorge Mario Bergoglio conclamou os mexicanos a “trabalharem com energia” na luta contra o crime organizado, embora reconhecesse o que é uma tarefa delicada: “Sei que é difícil denunciar um narcotraficante, porque leva a vida ou é uma espécie de martírio".