Atentado na Espanha

“Queria atentar contra os políticos porque são todos iguais”

Daniel Pérez passou dias fabricando uma bomba caseira com um manual da Internet

As primeiras imagens do autor do atentado. Atlas (atlas)

Daniel Pérez Berlanga, de 37 anos, tornou-se nesta sexta-feira o mais famoso morador de Bronchales, na região de Aragão (norte da Espanha). Esse município de apenas 460 habitantes, situado em plena serra do Albarracín, 1.500 metros acima do nível do mar, acordou com a notícia de que seu cidadão dirigiu um carro com explosivos contra a sede do Partido Popular (centro-direita) em Madri. “Minha intenção era atentar contra os políticos, porque são todos iguais”, afirmou ele após ser detido, segundo fontes policiais. “Tanto podia ter atentado contra o PP como contra qualquer outro partido”, disseram os agentes.

Mais informações

O veículo usado, um Citroën Xantia com placa de Guadalajara (região de Castela-La Mancha), entrou a grande velocidade no edifício da rua da Génova, chegando até a escadaria interna, onde quase atropelou uma faxineira. Dentro do carro havia dois botijões de gás e dois sacos de adubo industrial, um material inflamável.

Pérez Berlanga, que tem antecedente criminal por furto e está em tratamento por esquizofrenia e uso de drogas, passou vários dias planejando o atentado contra a sede do partido do Governo, que ele considera responsável por sua situação trabalhista, segundo fontes próximas à investigação.

O autor do ataque está desempregado desde maio, quando foi dispensado pela fábrica de aglomerados de madeira Utisa, a qual se beneficiou de um instrumento chamado “processo de regularização de emprego”, que facilita demissões para empresas em dificuldades. Naquele mesmo mês, se inscreveu num concurso para fiscal num campo de cogumelos que a prefeitura de Bronchales planeja inaugurar. Ficou em quinto lugar.

Pérez Berlanga vive com os pais, Juan Pedro e Teresa, um casal muito querido, que passou a vida toda em Bronchales. Seu pai, que foi prefeito do município pelo Partido Socialista entre 2003 e 2007, é dono de uma empresa de pintura. Sua mãe se dedica à hotelaria. Ele tem uma irmã que mora na Zaragoza, é solteiro e não tem filhos.

Seus vizinhos o descrevem como um homem “muito vinculado ao povoado e nada afastado das pessoas”. O atual prefeito, Francisco Nacher (do partido regional Chunta Aragonesista), mora a um quarteirão do autor do ataque, com quem cruza “uma ou duas vezes” por dia. A última delas foi na quinta-feira, na hora do almoço. “Nunca imaginaríamos algo assim, estamos todos consternados”, afirmou.