Foguete não tripulado explode durante decolagem nos Estados Unidos

Veículo tinha como destino a Estação Espacial Internacional. Não houve feridos

Imagem da explosão capturada pela NASA.
Imagem da explosão capturada pela NASA.AFP

Um foguete espacial sem tripulação a bordo, subcontratado pela NASA, explodiu na terça-feira logo após seu lançamento em uma base comercial de uma pequena ilha no Estado da Virgínia, na costa leste dos Estados Unidos. O foguete, construído e lançado pela empresa Orbital Sciences, decolou às 18h22 na hora local (20h22 em Brasília) e explodiu poucos segundos depois, segundo a NASA. A agência e a empresa informaram que ninguém se feriu na explosão.

O foguete Antares, pilotado remotamente, tinha previsto o transporte de mais de duas toneladas de material à Estação Espacial Internacional, onde estão seis astronautas. É o primeiro acidente desde que a NASA começou a subcontratar empresas privadas para levar materiais para essa plataforma. O último acidente fatal da NASA foi com o ônibus espacial norte-americano Columbia, que se desintegrou em 2003 depois de entrar em contato com a atmosfera, matando seus sete tripulantes.

Mais informações
A nave ‘Rosetta’ chega ao cometa
Há 45 anos, o homem pisou na Lua
A quinoa chega à NASA, mas se afasta dos consumidores andinos

O Antares também levava 700 quilos de material para experimentos científicos, entre eles uma pesquisa para análise química de meteoritos. A carga total do foguete era 15% mais pesada do que a de missões anteriores. Em sua conta no Twitter, a Orbital Sciences informou, sem entrar em detalhes, que o “veículo sofreu uma anomalia” durante o lançamento na ilha de Wallops, muito próxima ao continente.

Chris Tolton, que presenciou a explosão de longe, afirmou à rede de TV CNN que o foguete se inclinou para a esquerda no momento da decolagem. O lançamento estava previsto para segunda-feira, mas foi adiado depois da identificação de um barco em uma zona restrita de segurança.

A Orbital Sciences, que está instalada na ilha, é uma das duas empresas subcontratadas pela NASA para transportar material à Estação Espacial Internacional, um complexo no qual participam 15 países, localizado a 420 quilômetros da Terra. O lançamento da terça-feira seria o terceiro dos oito concedidos à empresa por um contrato de 1,9 bilhão de dólares (4,7 bilhões de reais), além de um outro já realizado para testes. Foi o primeiro lançamento noturno do foguete Antares.

É o primeiro acidente desde que a NASA começou a subcontratar empresas privadas

A outra empresa subcontratada é a SpaceX, que já realizou três lançamentos dos 12 programados em um contrato de 1,6 bilhão de dólares (3,9 bilhões de reais). Depois de finalizar em 2011 o programa de lançamento espacial dos EUA, a NASA começou a avaliar concessões para o setor privado. Em 2010, a SpaceX foi a primeira empresa privada a enviar uma nave para o abastecimento da Estação Espacial Internacional.

O acidente da terça-feira pode representar um duro golpe ao setor espacial privado. Há um mês, a NASA anunciou a concessão de um contrato de 4,2 bilhões de dólares (10,4 bilhões de reais) com a fabricante de aviões Boeing e de 2,6 bilhões de dólares (6,4 bilhões de reais) com a SpaceX para transportar astronautas norte-americanos à Estação Espacial Internacional, nos chamados taxis espaciais. A previsão é que a primeira viagem com um astronauta aconteça em 2017. Atualmente apenas a Rússia oferece esse tipo de transporte.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS