Kim Jong-un reaparece de bengala depois de 40 dias ausente

O líder da Coreia do Norte comparece à inauguração de um novo conjunto residencial

Fotografia cedida pelo jornal 'Rodong Sinmun', que mostra Kim Jong-un caminhando com uma bengala.
Fotografia cedida pelo jornal 'Rodong Sinmun', que mostra Kim Jong-un caminhando com uma bengala.Rodong Sinmun (EFE)

Kim Jong-un reapareceu hoje na mídia estatal norte-coreana, sorridente, depois de mais de 40 dias de ausência. Várias fotos da agência de notícias KCNA mostram o jovem líder visitando um centro residencial para cientistas em Pyongyang, onde ele realizou uma "inspeção em campo". Em todas as imagens, tanto em pé quanto sentado, o marechal aparece com uma bengala, confirmando que ele se recupera de alguma doença ou lesão.

Embora a notícia tenha sido divulgada hoje, os meios de comunicação norte-coreanos não especificam quando a visita ocorreu, nem fazem qualquer menção ao estado de saúde de Kim Jong-un. O reaparecimento dele fez algumas das muitas hipóteses que surgiram caírem, entre elas a de que o líder norte-coreano teria problemas de saúde graves ou que teria sido afastado do poder por um golpe de Estado. Até hoje, o último evento oficial ao qual ele tinha comparecido tinha sido no dia 3 de setembro, num concerto de um grupo local. Desde então não havia notícias dele, fato estranho num país onde os meios de comunicação informam constantemente sobre o paradeiro e as atividades do líder. Em meados de setembro ele faltou a uma sessão da Assembleia Popular norte-coreana, e na sexta-feira passada não compareceu à comemoração do 69º aniversário da fundação do Partido dos Trabalhadores, dia em que o jovem Kim costuma prestar homenagem a seu pai e seu avô.

O fato de a propaganda do regime ter mostrado Kim Jong-un com uma bengala é inédito. Como no caso de seu avô, Kim Il-sung, e de seu pai, Kim Jong-il, o líder norte-coreano é visto como um semideus em seu país, e até hoje tentou-se evitar passar uma impressão que pudesse prejudicar sua imagem. Segundo disseram funcionários do Ministério da Unificação sul-coreano à agência Yonhap, Kim teria organizado essa aparição pública antes de recuperar-se plenamente, para abafar os rumores de que estaria gravemente doente ou que teria perdido o controle do regime. "Acho que é a primeira vez que a Coreia do Norte divulga uma foto de seu líder usando uma ferramenta desse tipo", disse o alto funcionário sul-coreano.

MAIS INFORMAÇÕES

Enquanto a televisão norte-coreana não transmitir algum vídeo em que Kim apareça andando, as autoridades sul-coreanas consideram três possibilidades: que Kim esteja sofrendo de gota –uma doença que seu pai e seu avô também sofriam e que é hereditária–, que tenha fraturado um calcanhar ou ambos depois de uma viagem "intensiva" pelo país ou que tem uma inflamação aguda nos pés devido a uma "atividade esportiva excessiva" – Kim é grande fã de basquete.

A hipótese que parece ter sido descartada definitivamente é a de que ele teria perdido o controle político do regime comunista. Segundo disse hoje o chefe do Estado-Maior da Coreia do Sul, Choi Yun-hee, Kim "não parece estar tendo problemas sérios" para manter seu poder, apesar de sua ausência. Especulou-se que o atual número dois do regime, Hwang Pyong-so, nomeado recentemente vice-presidente da Comissão Nacional de Defesa e vice-marechal do todo-poderoso Exército norte-coreano, pudesse ter assumido as rédeas do país, diante da ausência misteriosa de Kim. De fato, foi ele quem encabeçou uma delegação que se mostrou disposta a relançar o diálogo de alto nível entre as duas Coreias. Mas nas imagens publicadas hoje vê-se Hwang acompanhando Kim e, como de praxe, anotando o que o jovem líder diz.

Arquivado Em: