luto na política brasileira

Pernambuco se prepara para o funeral de seu ex-governador

Os corpos de Eduardo Campos e de outras duas vítimas serão velados na sede do Governo estadual. A data ainda não foi definida

Uma mulher passa em frente a imagem de Campos em Recife.
Uma mulher passa em frente a imagem de Campos em Recife.Fernando Bizerra Jr. (EFE)

O Governo de Pernambuco prepara uma missa campal para homenagear o ex-governador Eduardo Campos (PSB), que morreu nesta quarta-feira, vítima de um acidente de avião, em Santos, litoral de São Paulo. A celebração ocorrerá na frente da sede do Executivo pernambucano, no Palácio do Campo das Princesas, em Recife, e será aberta ao público. O funeral ocorrerá no cemitério de Santo Amaro, onde foi sepultado o avô de Campos e seu mentor político, o ex-governador Miguel Arraes.

Os restos mortais das sete vítimas da queda da aeronave foram encaminhados na noite da quarta-feira ao Instituto Médico Legal de São Paulo, onde uma equipe de 30 peritos fazem os trabalhos de identificação. A realização dos exames de DNA será feita por uma equipe de 10 peritos do Instituto de Criminalística, especialistas em genética forense.

MAIS INFORMAÇÕES

Como ainda não há uma previsão oficial de quando os trabalhos de identificação serão concluídos, a data do velório e da missa ainda não foi definida. Além do corpo de Campos, serão velados em Recife o fotógrafo Alexandre Severo e o assessor de imprensa Carlos Percol. A assessoria de imprensa do Governo local afirmou que a presidenta Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição e adversária política de Campos, já confirmou presença no evento.

Na manhã desta quinta-feira, uma comitiva do Governo de Pernambuco, liderada pelo governador João Lyra Neto (PSB), seguiu para a capital paulista para discutir os detalhes do traslado dos corpos. Lyra Neto deve se reunir com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

O então candidato à presidência pelo PSB, Eduardo Campos, e outras seis pessoas morreram após a aeronave onde eles estavam cair em um bairro residencial de Santos. O grupo seguia do Rio de Janeiro para o Guarujá, na Baixada Santista, onde participariam de uma série de compromissos de campanha.

O avião Cessna 560 XL se despedaçou e os corpos de Campos, Percol, Severo, do cinegrafista Marcelo Lyra, do assessor Pedro Valadares e dos pilotos Geraldo da Cunha e Marcos Martins ficaram incinerados. Peritos da Polícia Científica paulista e da Polícia Federal estão desde a noite de quarta-feira analisando as partes encontradas para tentar identificá-las por meio de exames de DNA. O Governo federal decretou luto oficial de três dias e os principais candidatos à presidência suspenderam suas agendas de campanha pelo mesmo período.

Eduardo Campos tinha 49 anos. Deixou uma mulher e cinco filhos. Ele foi governador de Pernambuco por dois mandatos, deputado estadual, deputado federal, secretário estadual e pela primeira vez concorria ao cargo de presidente. Queria ser uma alternativa à polarização PT-PSDB. Com sua morte, o PSB deverá definir nos próximos dias quem será o nome do partido nas eleições deste ano.