Um terremoto de 5,1 graus mata duas pessoas no Equador

Os trabalhos de resgate concentram-se na colina de Catequilla, onde ainda se busca oito trabalhadores de uma mina

As equipes de resgate, na colina de Catequilla.
As equipes de resgate, na colina de Catequilla. (AFP)

Um terremoto de 5,1 graus na escala Richter e pelo menos dois tremores de menor intensidade sacudiram Quito na terça-feira à tarde. O terremoto teve seu epicentro no norte da cidade, devido a uma falha geológica que atravessa a capital do Equador, segundo o Instituto Geofísico. O tremor provocou, até o momento, duas vítimas fatais: um operário que ficou preso em uma mina na colina de Catequilla e um menino que foi esmagado por toneladas de arroz no bairro San Isidro del Inca.

As equipes de resgate se concentram na colina de Catequilla, de onde dezenas de pessoas foram removidas e ainda estão sendo procurados oito trabalhadores da mina. O prefeito de Quito, Maurício Rodas, destacou a legalidade das pedreiras na região que, por outro lado, operam sem nenhum controle.

Os serviços de emergência informaram, além disso, que o tremor também causou oito feridos em diferentes partes da cidade e danos em algumas infraestruturas na região norte como em hospitais de Solca e San Francisco. Na hora do abalo, a maior parte dos residentes de Quito estava em seu local de trabalho. Muitos foram evacuados até ser comprovado que os edifícios não tinham sido danificados.

Gráfico explicativo do sismo do Instituto Geofísico.
Gráfico explicativo do sismo do Instituto Geofísico.Igepn

O mais alarmante foi a nuvem de pó que se levantou devido aos deslizamentos de terra no norte da cidade e que escureceu o céu da capital. Esta nuvem se deslocou até os vales próximos a Quito e prejudicou as atividades do aeroporto Mariscal Sucre. O terminal aéreo, localizado no vale de Tababela, foi fechado por mais de duas horas porque uma camada de pó cobriu os aviões e a pista de aterrissagem.

Na estrada Panamericana Norte, que conecta a capital com o norte do país, foram registrados quatro deslizamentos e um veículo foi esmagado por pedras que caíram na calçada, mas não houve vítimas. Esta via ficou fechada até 2h da madrugada para trabalhos de limpeza.

O túnel de Guayasamín, que liga a cidade a dois vales, também ficou fechado pela tarde devido ao risco de deslizamentos. Isso provocou um caos no tráfego porque a medida coincidiu com o retorno das pessoas que moram nos vales, mas trabalham em Quito.

Um relatório do Instituto Geofísico informou que os movimentos tectônicos foram de pouca profundidade, apenas de cinco quilômetros, por isso provocaram deslizamentos e foram sentidos em toda a cidade. Os técnicos citam informações colhidas em redes sociais, que indicam que o tremor foi sentido inclusive na costa do país e na fronteira com a Colômbia.

Arquivado Em: