Seleccione Edição
Login
Copa do Mundo 2014

Dezenas de ônibus são queimados no Brasil após a derrota

Curitiba, Rio, Belo Horizonte, São Paulo, Salvador e Recife registram episódios de violência durante e após a goleada alemã

Um homem é detido em Belo Horizonte.
Um homem é detido em Belo Horizonte. AFP

As principais cidades brasileiras vivenciaram episódios de violência nesta terça-feira durante e após a goleada sofrida pelo Brasil para a Alemanha, que marcou a eliminação do país da Copa do Mundo. Dezenas de ônibus foram incendiados e torcedores acabaram detidos por brigas e confusões, forçando as autoridades a ampliar a segurança para evitar que os casos aumentem nas próximas horas.

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, já afirmou que o governo federal está reforçando as medidas de segurança em Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro como prevenção a manifestações mais violentas após a derrota brasileira, segundo informações da Agência Estado.O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://www.estadao.com.br/noticias/geral,governo-reforca-seguranca-em-bh-rio-e-sp-apos-jogo,1525682O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://www.estadao.com.br/noticias/geral,governo-reforca-seguranca-em-bh-rio-e-sp-apos-jogo,1525682

Em Belo Horizonte –local da partida– foram registrados os maiores focos de violência. A tradicional região da Savassi, reduto boêmio da capital mineira, reuniu cerca de 25.000 torcedores e inúmeras confusões. Durante o jogo, quatro pessoas foram presas e 12 ficaram feridas durante brigas na rua, de acordo com a agência France Presse. Segundo o site UOL, quatro pessoas chegaram ainda a ser expulsas do estádio do Mineirão por atitudes de violência e vandalismo.

Já em São Paulo, a partir das 19h15 ocorreram ataques a ônibus nas zonas sul, leste e norte paulistanas. Cerca de 20 coletivos teriam acabado em chamas em uma garagem, de acordo com informações do jornal Folha de S.Paulo. Outros veículos do mesmo porte também teriam sido incendiados em diferentes regiões, e um, depredado na Vila Medeiros, na zona norte.

No Rio de Janeiro, também houve brigas e correria no perímetro da Fan Fest, na praia de Copacabana. O espaço da FIFA equipado com telão chega a reunir cerca de 20.000 torcedores a cada jogo do Brasil. Pessoas relataram ter visto princípios de arrastão e disputas entre os que acompanhavam o jogo no local. Segundo a polícia, seis acabaram detidos devido às confusões, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo.

Em Curitiba houve ainda depredação, mas a prefeitura afirma que foram atos de vandalismo isolados. O prefeito, Gustavo Fruet, escreveu em sua conta no Twitter: "Não se trata de nenhuma manifestação e não se pode admitir vandalismo por causa da derrota". Em um terminal, algumas peças de um ônibus foram arrancadas e veículos de linhas municipais foram apedrejados, segundo informações da Gazeta do Povo. Houve ainda três casos de tentativa de incêndio, que acabaram controlados por populares, de acordo com a mesma fonte.

No Recife, a confusão começou antes do término da partida. Na Fan Fest da FIFA, que fica no centro da capital pernambucana, a polícia entrou com a cavalaria e usou gás lacrimogêneo para dispersar uma briga generalizada, segundo o UOL. Pessoas chegaram a ser pisoteadas, ainda de acordo com o portal, mas a organização do evento não informou sobre feridos.

Já na Fan Fest de Salvador, cujo público pode ter chegado a 50.000 pessoas nas imediações do Farol da Barra, também houve tumulto, que terminou com três homens e uma mulher detidos, segundo a mesma fonte.